Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


50 ARTISTAS E GALERIAS DE 7 PAÍSES NA 1ª EDIÇÃO DO DRAWING ROOM LISBOA

2018-10-08




A 1ª edição da Drawing Room Lisboa reúne galerias de Portugal, Espanha, Grécia, França, Alemanha, Brasil e Colômbia. A presença portuguesa é a mais representativa da Feira, tanto a nível de Galerias, provenientes de Lisboa, Porto e Ponta Delgada, como de artistas. Dos 50 artistas presentes, 30 são portugueses, numa participação intergeracional que inclui nomes relevantes no desenho Ana Jotta, Joao Felino, José Loureiro, Luisa Cunha, Manuel San Payo, Maria José Cavaco, Martinho Costa, Miguel Palma, Nuno Henrique, Pedro A.H. Paixão, Pedro Cabrita Reis, Rui Moreira, Susana Gaudêncio, Vera Mota entre outros.

Nos stands com solo-projects realizados especificamente para a feira contamos com Adriana Molder (n. 1975, Lisboa) que participa com a galeria grega Donopoulos International Fine Arts, Federico Lamas (n. 1979, Buenos Aires) pela Galeria RV Cultura e Arte, Jorge Martins (n. 1940, Lisboa) pela Galeria Arte Periférica, Paulo Lisboa (n. 1977, Lisboa) representado pela Galeria Graça Brandão e Pedro Gomes (n. 1972, Moçambique) que participa com a Galeria Presença.

Entre os artistas internacionais presentes destacam-se os nomes do francês Jean Dubuffet, os argentinos Gonzalo Elvira, Emmanuel Lafont, o belga Klaas Vanhee, as espanholas Ángeles Agrela, Irene González e Lola Berenguer, o colombiano Felipe Bedoya e o alemão Hanns Schimansky.

A seleção de Galerias coube a Mónica Álvarez Careaga, directora da Feira, María do Mar Fazenda, Directora Artística e ao Comité Consultivo da Feira do qual fazem parte Elsy Lahner, Curadora de Arte Contemporânea da Albertina Museum (Viena), Inmaculada Corcho, Diretora do Museu do Desenho ABC (Madrid) e Manuel Navacerrada, coleccionador.

De Lisboa estarão presentes as galerias 111, Arte Periférica, Carlos Carvalho, Graça Brandão, Miguel Nabinho, Módulo, Monumental e a Jeanne Bucher Jaeger, galeria parisiense que abriu recentemente em Lisboa; do Porto, a Galeria Pedro Oliveira e a Presença, e de Ponta Delgada, a Galeria Fonseca Macedo.

Integram a lista de galerias internacionais representadas nesta 1ª edição em Portugal, a Adrián Ibáñez (Tabio, Colômbia), Donopoulos (Salonica, Grécia), Siboney (Santander, Espanha), Silvestre (Madrid, Espanha), Yusto/Giner (Marbelha, Espanha), Jeanne Bucher Jaeger (Paris, França), Rosalux (Berlim, Alemanha), RV Cultura e Arte (Salvador, Brasil) e Ruiz Linares (Granada, Espanha).

O programa expositivo da feira inclui ainda a exposição The Dangerous Plurality. Desenhos da Colecção de Arte Contemporânea, da Fundação PT, comissariada por Mónica Álvarez Careaga, diretora da Drawing Room e Mónica Constantino, responsável pela gestão e curadoria da colecção de arte contemporânea da Fundação PT. A exposição inclui os trabalhos de 26 artistas selecionados pela sua obra baseada no discurso do desenho e sempre presente nos seus percursos, seja de forma mais clássica, como é o caso de Paula Rego (1935) e Gaëtan (1944), seja através de um enfoque mais centrado na investigação das potencialidades do grafite e papel, como Jorge Martins (1940) ou Diogo Pimentão (1973); sem esquecer os que expandem o conceito de desenho através do cruzamento de materiais e disciplinas, como Ana Hatherly (1929-2015) ou Marta Wengorovius (1963).

A feira apresenta ainda um programa de conversas dedicado ao coleccionismo do desenho contemporâneo, as Millennium Talks, a cargo de Verónica de Mello e apoiadas pela Fundação Millennium bcp. Um espaço editorial dedicado ao desenho, coordenado por Filipa Valladares, da STET, e uma demonstração de ferramentas de desenho pela Fábrica Portuguesa de Lápis Viarco, patrocinadora do Prémio Novo Talento Desenho – Drawing Room Lisboa & Viarco, que incluiu uma residência artística na Fábrica, em São João da Madeira, completam a proposta.



Fonte: Drawing Room