Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


BILLY WOODBERRY, RADU JUDE E LUDOVIC HOUPLAIN NA COMPETIÇÃO DO CURTAS VILA DO CONDE

2019-06-04




Filmes de Billy Woodberry, Radu Jude e Ludovic Houplain, "vozes singulares a trabalharem nas fronteiras entre géneros", integram, em julho, a competição internacional do Festival de Cinema.

Filmes de Billy Woodberry, Radu Jude e Ludovic Houplain, “vozes singulares a trabalharem nas fronteiras entre géneros”, integram, em julho, a competição internacional do Festival de Cinema Curtas Vila do Conde.

“Reescrever acontecimentos, redescobrir os arquivos da memória, reclamar heranças e redesenhar velhas simbologias são estes os desafios propostos pelas 56 curtas que compõem as competições internacional e experimental do 27.º Curtas”, revelou esta terça-feira a organização.

Entre os filmes selecionados estão “A story from Africa”, do realizador norte-americano Billy Woodberry – que esteve recentemente em Portugal com uma retrospetiva em Lisboa e no Fundão -, “The Marshal’s two executions”, do romeno Radu Jude, e “Le discours d’acceptation glorieux de Nicolas Chauvin”, de Benjamin Crotty.

Assinala-se ainda a inclusão do premiado Ludovic Houplain com um novo filme, “My Generation”, de Jane Wilson e Louise Wilson, com a instalação visual “Suspended Island”, e de Brandon Cronenberg, com “Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You”.

O filme experimental “Ambulatório através da poesia de Augusto Dos Anjos e António Nobre”, do realizador Pedro Bastos, também foi selecionado.

O 27.º Curtas Vila do Conde decorrerá de 6 a 14 de julho.

Anteriormente, a organização tinha já anunciado, por exemplo, que os realizadores Carlos Conceição e Todd Solondz estarão em foco no festival e que a abertura do Curtas ficará por conta do cine-concerto “O gabinete do Dr. Caligari”, de 1920, com música da violoncelista Marta Navarro e do artista sonoro Tiago Cutileiro.

Haverá ainda atuações do trio Montanhas Azuis, do guitarrista norte-americano Thurston Moore e do coletivo londrino The Heliocentrics.




Fonte: Observador