Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


OPEN HOUSE LISBOA 2021 É JÁ ESTE FIM DE SEMANA

2021-09-24




No fim-de-semana de 25 e 26 de Setembro descobrem-se os “Caminhos da Água” que moldam as paisagens de Lisboa e Almada. Regressam as visitas gratuitas que desafiam a percorrer e a desvendar a cidade através da arquitectura.

À 10.ª edição, o Open House Lisboa elege a paisagem como protagonista, estende o roteiro e o olhar à margem esquerda do Tejo e prepara-se para explorar, pela primeira vez, as cidades de Lisboa e Almada. Esta edição procura mostrar este vínculo entre água e cidade, convidando a percorrer o Tejo e os seus vales como rotas para entender Lisboa e Almada e as suas arquitecturas. Viagens a várias velocidades, de barco, de bicicleta e a pé, acompanhadas por quem já reflectiu, estudou e interveio sobre esta paisagem estuarina.

Se é a água que une estes dois territórios, também é esse o elemento essencial escolhido pelo colectivo de arquitectura paisagista Baldios como fio condutor para o comissariado deste ano.

“Caminhos da Água” é o roteiro de 68 espaços de visita gratuita, 49 dos quais em estreia absoluta, que convida à descoberta de diferentes tipologias de edifícios que resultam do vínculo entre água e cidade, percorrendo o Tejo e os vales de ambas as margens.

Para melhor compreender esta relação, e como a construção as acompanha, os Baldios organizaram os locais em oito percursos urbanos que ajudam a desvendar oito linhas de água de Lisboa e Almada. Da Linha de Costa que prova que o rio Tejo é um território, à Ribeira da Ajuda que definiu Alcântara e Algés, até aos eixos que deram origem às Avenidas da Liberdade e Almirante Reis, sem esquecer o Vale de Porto Brandão ou a linha de água em que Cacilhas, Almada, Pragal, Monte da Caparica e Trafaria cresceram. São estes os percursos naturais que se vão descobrir com a ajuda, entre outros e outras, de especialistas como Catarina Rebelo de Sousa e Gilberto Oliveira, João Ventura Trindade ou Francisco Silva.

Do cemitério do Alto de S. João ao Hub Criativo do Beato – Antigas Fábricas de Manutenção Militar, dos antigos Estaleiros da Lisnave, ao Lazareto - Asilo 28 de Maio. Das casas particulares às fábricas, dos cinemas aos jardins, dos conventos a espaços icónicos de diferentes épocas das duas cidades, nesta nova edição, o Open House alarga o território mas sem se dispersar minimamente no seu compromisso maior: aproximar de Lisboa e Almada quem nela habita através da descoberta de uma eclética selecção de espaços.

Mas não é tudo. No seguimento da estreia, em 2020, do novo formato de passeio sonoro, a edição deste ano tem também previstos dois passeios guiados ao ouvido. É o caso de “Conhecer a Água”, o passeio que leva o ouvinte numa viagem sonora ao leito do rio Tejo, e da sua importância, através de uma viagem de barco entre Cais do Sodré e Cacilhas e o passeio que dá a conhecer o Vale de Chelas.

Por questões de segurança, e por forma a evitar grandes aglomerados em contexto de pandemia, vão existir mais espaços a obrigar reserva prévia e será implementado um sistema de registo de entradas que permite dar informação sobre a afluência de cada espaço em tempo real, orientando as escolhas do visitante.

Como é habitual, estão ainda previstas oito iniciativas independentes que acontecem nos espaços do roteiro. Este ano, o Programa Plus conta com concertos, performance de dança, percursos, exposições e workshops.

Como tem vindo a acontecer desde 2017, o Open House continua também comprometido com a inclusão. Este ano, as visitas acessíveis para pessoas cegas ou com baixa visão e pessoas com deficiência cognitiva estão conciliadas com as actividades do Programa Júnior. Estão previstos passeios, visitas e oficinas criativas, Colina Acima, Colina Abaixo, com descrição visual e materiais tácteis. E uma visita guiada aos Antigos Estaleiros da Lisnave com interpretação em Língua Gestual Portuguesa.

Todas as informações, horários, locais e informação sobre marcações no website.

Com co-produção da Trienal de Lisboa e da EGEAC, o Open House Lisboa 2021 conta com a parceria estratégica da Câmara Municipal de Lisboa e cooperação da Câmara Municipal de Almada. De barco, de bicicleta ou a pé, o encontro Open House Lisboa 2021 faz-se seguindo os “Caminhos da Água” de Lisboa e Almada, nos dias 25 e 26 de Setembro.



SOBRE OPEN HOUSE

Conceito criado em 1992 por Victoria Thornton, a rede Open House Worldwide conta hoje com 50 cidades por todo o mundo, como Londres, Nova Iorque, Buenos Aires, Lagos ou Seoul. Em Lisboa, desde 2012 que a Trienal propõe um roteiro novo a cada ano para descobrir de espaços de diferentes naturezas que demonstram o papel decisivo da arquitectura na vida das pessoas e exemplificam o valor do património edificado. Em 2020, o Open House Lisboa estreou com passeios sonoros guiados pelo imaginário de lisboetas muito especiais e em 2021 alarga o território a Almada.



SOBRE BALDIOS

A Baldios Arquitectos Paisagistas surge em 2012 como colectivo, na sequência da fusão do trabalho desenvolvido por 5 arquitectos paisagistas, em colaboração ou co-autoria com diversas equipas interdisciplinares. Dedica-se à produção de paisagem, quer sob a forma de estudos e projectos de arquitectura paisagista, quer através da sua investigação. Abarcando várias influências e discussões, a investigação e a prática da paisagem são assumidas como um esforço conjunto de disciplinas profissionais envolvendo investigadores que se debruçam sobre o território e a cultura contemporânea. Neste sentido, a produção de paisagem deverá ser um acto anónimo ou colectivo, em que o resultado do trabalho da Baldios é a principal referência identitária.





FONTE: Open House Lisboa