Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


MARCEL DUCHAMP E BRUCE NAUMAN NO LOOPS.LISBOA 2019

2019-12-04




O Temps d’ Images prolonga-se com o Loops.Lisboa 2019, projecto que inaugura a sua 5.ª edição no próximo dia 12 de dezembro, às 18h, no Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado (MNAC), com a exposição de Anémic Cinéma (1926), de Marcel Duchamp e de Good Boy Bad Boy (1985), de Bruce Nauman. A noite de abertura contará com o live musical and visual Fractal memory of a spectrum awareness, criado por João Pedro Fonseca (participante da primeira edição do Loops.Lisboa) na electrónica e visuais e Carincur na voz.

A 5.ª edição do Loops.Lisboa apresenta duas obras seminais da história da imagem em movimento, cada uma delas a representar momentos marcadamente distintos desta trajetória. São elas os loops Anémic Cinéma (1926), de Marcel Duchamp, que pode ser considerado o “primeiro e único filme” de Duchamp, resultado de experiências anteriores com o então chamado Rotorelief, e a instalação Good Boy Bad Boy (1985), de Bruce Nauman, que marcou o retorno à linguagem de vídeo deste artista essencial, mais de dez anos depois de seu último trabalho neste formato. A exposição estará patente até 1 de Março.

A exibição da obra de Bruce Nauman nesta edição do Loops.Lisboa, cedida pela Fundação holandesa WWVF, é um primeiro passo para a nova visão dos curadores do projeto Loops.Lisboa, que criou uma rede internacional de curadoria e exibições. A partir de 2020, curadores parceiros vão organizar uma série de projecções, instalações, encontros e intervenções sobre o loop a partir de um mesmo Open Call internacional mas em diferentes geografias. A rede é composta por curadores de cinema e videoarte e já conta com a participação de Mario Gutiérrez Cru (Festival Proyector, Madrid - Espanha); Sandra Lischi (Onda Video, Pisa - Itália); Tom Van Vliet (Fundação holandesa WWVF, Amesterdão - Holanda); coletivo Cine Esquema Novo (Porto Alegre - Brasil) e Loops.Lisboa / Festival Temps d'Images (Lisboa - Portugal). O encontro de arranque da rede está marcado para 7 de Fevereiro em Lisboa, com a presença dos curadores nacionais e internacionais, num debate aberto ao público a anunciar em breve.

Ao longo das quatro edições do Loops.Lisboa, 12 artistas portugueses e estrangeiros residentes em Portugal exibiram as suas obras na Sala Sonae do Museu do Chiado, seleccionados a partir de centenas de submissões, e concorreram ao prémio de 2,000€ a cada ano. Foram eles Francisca Manuel e Elizabete Francisca, João Cristóvão Leitão e João Pedro Fonseca (2015), Patrícia Almeida, Pedro Vaz e Tiago Rosa-Rosso Carvalhas (2016), Nuno Cera, Tomaz Hipólito e Ricardo Pinto Magalhães (2017) e João Bento, Mané e Letícia Larín em 2018. Juntos e pouco a pouco, estas pessoas e os seus trabalhos - bem como os membros do júri e os oradores convidados - ajudaram a criar um espaço de significado para a ideia do loop em Portugal, com algumas das edições a serem também exibidas também em Montemor-o-Velho no Festival Citemor, nos Açores, no Festival Walk & Talk e em Madrid, no Festival Proyector.





Loops.Lisboa 2019 / Temps D’ Images 2019
- Exposição de Anémic Cinéma (1926), de Marcel Duchamp, e Good Boy Bad Boy (1985), de Bruce Nauman
Local: Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado (MNAC)
Abertura: 12 de Dezembro, das 18h às 21h com o live action and visuals “Fractal memory of a spectrum awareness”
Horário: de Terça-feira a Domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h30)
Entrada Gratuita
Encerramento: 01 de Março




Fonte: MNAC - Museu do Chiado