Links

PERSPETIVA ATUAL


Frieze Art Fair 2008


Galeria A Gentil Carioca, Brasil


Laura Lima “To Age”,
2004.
Cortesia: Mary Wycherley


Jarbas Lopes, “O bem e o mal entendido
(Good and Evil Misunderstandings)”,
2006. Cortesia: A Gentil Carioca


Richard Jackson, “Delivery Room”,
2006–7.
Cortesia do artista e Yvon Lambert


Harland Miller, “The bigger the search light the larger the circumference of the unknown”, 2008


Norma Jeane, Frieze Projects

Outros artigos:

2017-11-12


HELENA OSÓRIO


2017-10-09


PAULA PINTO


2017-09-05


PAULA PINTO


2017-07-26


NATÁLIA VILARINHO


2017-07-17


ANA RITO


2017-07-11


PEDRO POUSADA


2017-06-30


PEDRO POUSADA


2017-05-31


CONSTANÇA BABO


2017-04-26


MARC LENOT


2017-03-28


ALEXANDRA BALONA


2017-02-10


CONSTANÇA BABO


2017-01-06


CONSTANÇA BABO


2016-12-13


CONSTANÇA BABO


2016-11-08


ADRIANO MIXINGE


2016-10-20


ALBERTO MORENO


2016-10-07


ALBERTO MORENO


2016-08-29


NATÁLIA VILARINHO


2016-06-28


VICTOR PINTO DA FONSECA


2016-05-25


DIOGO DA CRUZ


2016-04-16


NAMALIMBA COELHO


2016-03-17


FILIPE AFONSO


2016-02-15


ANA BARROSO


2016-01-08


TAL R EM CONVERSA COM FABRICE HERGOTT


2015-11-28


MARTA RODRIGUES


2015-10-17


ANA BARROSO


2015-09-17


ALBERTO MORENO


2015-07-21


JOANA BRAGA, JOANA PESTANA E INÊS VEIGA


2015-06-20


PATRÍCIA PRIOR


2015-05-19


JOÃO CARLOS DE ALMEIDA E SILVA


2015-04-13


Natália Vilarinho


2015-03-17


Liz Vahia


2015-02-09


Lara Torres


2015-01-07


JOSÉ RAPOSO


2014-12-09


Sara Castelo Branco


2014-11-11


Natália Vilarinho


2014-10-07


Clara Gomes


2014-08-21


Paula Pinto


2014-07-15


Juliana de Moraes Monteiro


2014-06-13


Catarina Cabral


2014-05-14


Alexandra Balona


2014-04-17


Ana Barroso


2014-03-18


Filipa Coimbra


2014-01-30


JOSÉ MANUEL BÁRTOLO


2013-12-09


SOFIA NUNES


2013-10-18


ISADORA H. PITELLA


2013-09-24


SANDRA VIEIRA JÜRGENS


2013-08-12


ISADORA H. PITELLA


2013-06-27


SOFIA NUNES


2013-06-04


MARIA JOÃO GUERREIRO


2013-05-13


ROSANA SANCIN


2013-04-02


MILENA FÉRNANDEZ


2013-03-12


FERNANDO BRUNO


2013-02-09


ARTECAPITAL


2013-01-02


ZARA SOARES


2012-12-10


ISABEL NOGUEIRA


2012-11-05


ANA SENA


2012-10-08


ZARA SOARES


2012-09-21


ZARA SOARES


2012-09-10


JOÃO LAIA


2012-08-31


ARTECAPITAL


2012-08-24


ARTECAPITAL


2012-08-06


JOÃO LAIA


2012-07-16


ROSANA SANCIN


2012-06-25


VIRGINIA TORRENTE


2012-06-14


A ART BASEL


2012-06-05


dOCUMENTA (13)


2012-04-26


PATRÍCIA ROSAS


2012-03-18


SABRINA MOURA


2012-02-02


ROSANA SANCIN


2012-01-02


PATRÍCIA TRINDADE


2011-11-02


PATRÍCIA ROSAS


2011-10-18


MARIA BEATRIZ MARQUILHAS


2011-09-23


MARIA BEATRIZ MARQUILHAS


2011-07-28


PATRÍCIA ROSAS


2011-06-21


SÍLVIA GUERRA


2011-05-02


CARLOS ALCOBIA


2011-04-13


SÓNIA BORGES


2011-03-21


ARTECAPITAL


2011-03-16


ARTECAPITAL


2011-02-18


MANUEL BORJA-VILLEL


2011-02-01


ARTECAPITAL


2011-01-12


ATLAS - COMO LEVAR O MUNDO ÀS COSTAS?


2010-12-21


BRUNO LEITÃO


2010-11-29


SÍLVIA GUERRA


2010-10-26


SÍLVIA GUERRA


2010-09-30


ANDRÉ NOGUEIRA


2010-09-22


EL CULTURAL


2010-07-28


ROSANA SANCIN


2010-06-20


ART 41 BASEL


2010-05-11


ROSANA SANCIN


2010-04-15


FABIO CYPRIANO - Folha de S.Paulo


2010-03-19


ALEXANDRA BELEZA MOREIRA


2010-03-01


ANTÓNIO PINTO RIBEIRO


2010-02-17


ANTÓNIO PINTO RIBEIRO


2010-01-26


SUSANA MOUZINHO


2009-12-16


ROSANA SANCIN


2009-11-10


PEDRO NEVES MARQUES


2009-10-20


SÍLVIA GUERRA


2009-10-05


PEDRO NEVES MARQUES


2009-09-21


MARTA MESTRE


2009-09-13


LUÍSA SANTOS


2009-08-22


TERESA CASTRO


2009-07-24


PEDRO DOS REIS


2009-06-15


SÍLVIA GUERRA


2009-06-11


SANDRA LOURENÇO


2009-06-10


SÍLVIA GUERRA


2009-05-28


LUÍSA SANTOS


2009-05-04


SÍLVIA GUERRA


2009-04-13


JOSÉ MANUEL BÁRTOLO


2009-03-23


PEDRO DOS REIS


2009-03-03


EMANUEL CAMEIRA


2009-02-13


SÍLVIA GUERRA


2009-01-26


ANA CARDOSO


2009-01-13


ISABEL NOGUEIRA


2008-12-16


MARTA LANÇA


2008-11-25


SÍLVIA GUERRA


2008-11-08


PEDRO DOS REIS


2008-11-01


ANA CARDOSO


2008-10-27


SÍLVIA GUERRA


2008-10-18


SÍLVIA GUERRA


2008-09-30


ARTECAPITAL


2008-09-15


ARTECAPITAL


2008-08-31


ARTECAPITAL


2008-08-11


INÊS MOREIRA


2008-07-25


ANA CARDOSO


2008-07-07


SANDRA LOURENÇO


2008-06-25


IVO MESQUITA


2008-06-09


SÍLVIA GUERRA


2008-06-05


SÍLVIA GUERRA


2008-05-14


FILIPA RAMOS


2008-05-04


PEDRO DOS REIS


2008-04-09


ANA CARDOSO


2008-04-03


ANA CARDOSO


2008-03-12


NUNO LOURENÇO


2008-02-25


ANA CARDOSO


2008-02-12


MIGUEL CAISSOTTI


2008-02-04


DANIELA LABRA


2008-01-07


SÍLVIA GUERRA


2007-12-17


ANA CARDOSO


2007-12-02


NUNO LOURENÇO


2007-11-18


ANA CARDOSO


2007-11-17


SÍLVIA GUERRA


2007-11-14


LÍGIA AFONSO


2007-11-08


SÍLVIA GUERRA


2007-11-02


AIDA CASTRO


2007-10-25


SÍLVIA GUERRA


2007-10-20


SÍLVIA GUERRA


2007-10-01


TERESA CASTRO


2007-09-20


LÍGIA AFONSO


2007-08-30


JOANA BÉRTHOLO


2007-08-21


LÍGIA AFONSO


2007-08-06


CRISTINA CAMPOS


2007-07-15


JOANA LUCAS


2007-07-02


ANTÓNIO PRETO


2007-06-21


ANA CARDOSO


2007-06-12


TERESA CASTRO


2007-06-06


ALICE GEIRINHAS / ISABEL RIBEIRO


2007-05-22


ANA CARDOSO


2007-05-12


AIDA CASTRO


2007-04-24


SÍLVIA GUERRA


2007-04-13


ANA CARDOSO


2007-03-26


INÊS MOREIRA


2007-03-07


ANA CARDOSO


2007-03-01


FILIPA RAMOS


2007-02-21


SANDRA VIEIRA JURGENS


2007-01-28


TERESA CASTRO


2007-01-16


SÍLVIA GUERRA


2006-12-15


CRISTINA CAMPOS


2006-12-07


ANA CARDOSO


2006-12-04


SÍLVIA GUERRA


2006-11-28


SÍLVIA GUERRA


2006-11-13


ARTECAPITAL


2006-11-07


ANA CARDOSO


2006-10-30


SÍLVIA GUERRA


2006-10-29


SÍLVIA GUERRA


2006-10-27


SÍLVIA GUERRA


2006-10-11


ANA CARDOSO


2006-09-25


TERESA CASTRO


2006-09-03


ANTÓNIO PRETO


2006-08-17


JOSÉ BÁRTOLO


2006-07-24


ANTÓNIO PRETO


2006-07-06


MIGUEL CAISSOTTI


2006-06-14


ALICE GEIRINHAS


2006-06-07


JOSÉ ROSEIRA


2006-05-24


INÊS MOREIRA


2006-05-10


AIDA E. DE CASTRO


2006-04-20


JORGE DIAS


2006-04-05


SANDRA VIEIRA JURGENS


share |

ART AFTER CRASH



SÍLVIA GUERRA

2008-10-18




Subway to Baker Street e a paisagem outonal de Regents Park aparece... A primeira feira após a crise financeira internacional abria as suas portas em Londres, no dia 15 de Outubro para coleccionadores, VIPs e imprensa. É a 6ª edição da Frieze Art Fair que conta com 151 galerias vindas de 27 países, que representam cerca de 1000 artistas. Portugal encontra-se representado pela galeria Filomena Soares. A galeria A Gentil Carioca, gerida pelo artista Ernesto Neto, é uma das presenças com propostas mais interessantes vindas do Brasil.

Às 14 horas quando chego à feira o ambiente é ainda muito calmo e os galeristas apresentam fisionomias um pouco apreensivas visto o volume de capital investido na produção de obras e na sua exposição na capital britânica. Começo o meu percurso por entre os stands para tentar perceber o que mudou desde Basileia, porque os preços mantém-se os mesmos. Alguns galeristas como o veterano Yvon Lambert tentam mesmo parecer optimistas. Ele acaba de abrir um novo espaço expositivo em Londres, após ter criado uma sucursal da sua galeria parisiense em Nova Iorque. No entanto, algumas das obras que a sua galeria apresenta - caso de “Gaveau” (2008) de Bertrand Lavier, uma nova versão para tempos de crise do piano dos artesões franceses, recoberto por uma camada de pintura negra - podem considerar-se como um rewind de ready made, constituindo uma opção de investimento numa obra de arte com certificado de garantia (a sua primeira versão, “Gabriel Gaveau” (1981), encontra-se na colecção do Centre Pompidou).

Uma exposição individual do jovem artista chinês O Zhang é apresentada pela CRG Gallery de Nova Iorque. As imagens das suas adolescentes com t-shirts com slogans escritos com cores fluorescentes, tais como “Dont Fuck with us We play hard” parecem reflectir o triunfo da economia asiática na Velha Europa. Já as obras dos artistas nórdicos, representados pela galeria Standard de Oslo, fazem eco à ecologia da reciclagem minimal.

Na Frieze não encontramos a mistura de obras históricas do início do século XX com obras de artistas mais contemporâneos. A escolha das obras parece sempre muito equilibrada e “fresca”. Muitas das obras em exposição são de 2008, reflectindo deste modo o momento artístico em que nos encontramos. Os seus directores, Amanda Sharp e Matthew Slotover tiveram sempre como modelo a imagem de feiras como a Art Cologne ou o Armory Show de Nova Iorque, não tanto a dos Salons parisienses, e nesse sentido a Frieze pode considerar-se uma sucessora da longa história das feiras, que são locais de encontro e de troca, nos quais os vendedores vêm de longe para trocar a sua mercadoria.

O facto de a feira se desenrolar numa arquitectura temporária, numa tenda, torna o espaço mais humano (longe do imenso Art Unlimited de Basileia). A arquitectura e o design espacial da Frieze esteve, este ano, a cargo do atelier Caruso & St John que construíram uma estrutura clara com vários espaços de descanso. Uma língua/tapete vermelho liga o espaço dos stands onde aparecem de longe a longe os projectos especiais comissariados por Neville Wakefield. Os projectos são Tue Greenfort, Pavel Büchler, Andreas Slominski, Jeppe Hein e Agnieszka Kurant, entre outros, e parecem reflectir as intenções espirituais da arte e a relação da arte com o ambiente, num século XXI que não pára de assistir a mudanças climatéricas. Slominski apresenta uma enorme gaiola onde por entre plantas saltitam papagaios, que são os protagonistas deste Outono quente em Londres. São os indicadores de fenómenos tais como o tempo e a temperatura que não podemos controlar. O projecto com maior participação por parte do público “que ainda fuma” foi o de Norma Jeane que criou cabines transparentes para fumadores.

No pequeno auditório podemos assistir a uma das componentes mais interessantes das feiras europeias: as conversas. Tal como em Basileia, mas num espaço mais restrito e protegido, podemos discutir com autores, críticos e filósofos como Boris Groys que nos fala de responsabilidade estética. Na Frieze as conversas acontecem três vezes por dia o que permite diferenciar a experiência do visitante entre o parque, os stands e a “universidade”.

Esta feira apresenta o catálogo mais ligeiro, quer a nível de peso e de tamanho. Sobretudo se o compararmos com o dos eventos congéneres. Trata-se de um pequeno livro que é quase uma edição de bolso, embora o seu preço seja menos light: 19.95 libras britânicas. Compro um e saio para ver as esculturas no parque. O Regents Park é um dos maiores atractivos da Frieze, é belíssimo no Outono e nele ainda podemos ver as esculturas propostas para esta feira. Encontramos “Meridian House” (2008) de Ângela Ferreira, e a cena de crime do britânico Harland Miller, intitulada “The bigger the search light the larger the circumference of the unknown” (2008). De seguida vou ao encontro dos jovens artistas apresentados pela iniciática - The Future can Wait, na Old Truman Brewery, em Brick Lane, que fica entre restaurantes indianos e casas de tijoleira negra. Esta feira off apresenta a “nova escola” de Londres e peças de artistas como Alexander Hoda ou Gavin Nolan.

A contenção domina, as compras fazem-se a longo prazo, para não dizer a prestações. Tudo continua calmo na atmosfera britânica mas como diria o grande mestre dramaturgo, sente-se que há qualquer coisa de podre no reino do capital.


Sílvia Guerra