Vítima de discriminação social no pós-guerra #1, Noruega, 2004


Maré Negra, Galiza#5, 2002


Porto Interior, Macau #4, 1997


Vindima #6, Bairrada, 2001


Pista para Lichinga #5 (Província do Niassa, Moçambique), 2001

Exposições anteriores:

2017-11-09


A SHOW TO MORE VOICES | MOSTRA ESPANHA 2017




2017-09-21


LIGHTS, CAMERA, ACTION - Retratos do Cinema




2015-11-11


GERAÇÃO 2015




2015-09-01


TWIST THE REAL




2015-05-15


ABSOLUTELY + The Pogo Collection_screenings




2014-09-18


Devido à chuva a revolução foi adiada




2014-05-15


ART STABS POWER - que se vayan todos!




2014-03-06


Nós




2013-11-14


MOSTRA ESPANHA




2013-09-26


Dive in




2013-05-30


6749/010.013




2013-03-07


THE AGE OF DIVINITY




2012-11-05


CABEDAL | THE OPERA




2012-09-27


DIG DIG: DIGGING FOR CULTURE IN A CRASHING ECONOMY




2012-06-05


LIMBO




2012-04-12


O PESO E A IDEIA




2011-11-10


SUBTLE CONSTRUCTION | PANÓPTICO




2011-09-29


INFILTRATION // Le privilège des chemins




2011-06-22


AT THE EDGE OF LOGIC




2011-05-04


O QUE PASSOU CONTINUA A MUDAR




2011-03-17


UMA IDEIA NOVA DECLINA-SE FORÇOSAMENTE COM UMA DEFINIÇÃO INÉDITA




2011-01-21


A CORTE DO NORTE




2010-11-20


Pieces and Parts




2010-09-14


Tough Love - uma série de promessas




2010-06-17


De Heróis está o Inferno cheio (Piso 1) / If I Can't Dance, I Don't Want to be Part of your Revolution (Piso 3)




2010-04-07


Marginalia d'après Edgar Allan Poe (Piso 3)/Play Them (Piso 1)




2010-01-18


Objet Perdu




2009-11-12


Colectivo [Kameraphoto] (Piso 1) | VOYAGER (Piso 3)




2009-09-08


HEIMWEH_SAUDADE




2009-05-12


AGORA LUANDA - Kiluanje Liberdade e Inês Gonçalves




2009-03-21


A Escolha da Crítica




2009-01-14


Convite Cordial




2008-11-15


O Contrato do Desenhista - Exposição com curadoria de Paulo Reis




2008-09-15


ALL WORK AND NO PLAY - Exposição Colectiva




2008-06-11


TERRITORIAL PISSINGS - Exposição Colectiva




2008-04-28


NOVAS GEOGRAFIAS, LISBOA | Mónica de Miranda




2008-03-17


uma combinação | Armanda Duarte




2008-01-24


Central Europa 2019




2007-11-22


Video Killed The Painting Stars




2007-09-14


REMOTE CONTROL




2007-06-23


DEBAIXO DO TAPETE




2007-05-02


747.3




2007-03-22


VOYAGE, VOYAGE




2007-03-20


MUXIMA | Alfredo Jaar




2007-01-19


DECRESCENTE FÉRTIL




2006-11-14


SCULP YOUR MIND l MARIAGE BLANC l ANALOGÓNIA




2006-09-26


(RE) VOLVER




2006-06-23


OLHEI PARA O CÉU E NADA VI




2006-05-06


PEDRO LOUREIRO: FOTOGRAFIAS 94-05




  
share |

PEDRO LOUREIRO: FOTOGRAFIAS 94-05


PEDRO LOUREIRO

FOTOGRAFIAS 94-05

Comissariado: José Maçãs de Carvalho

06 de Maio -
17 de Junho de 2006


A PLATAFORMA REVÓLVER tem o prazer de apresentar Fotografias 94-05, primeira exposição individual do fotógrafo Pedro Loureiro, comissariada por José Maçãs de Carvalho. Fazendo parte da exposição apresenta-se um documentário em vídeo, acerca do trabalho de fotografia do Pedro Loureiro. Conta com a participação de Céu Guarda, Francisco Camacho, Francisco José Viegas e Miguel Sousa Tavares; vídeo realizado por Bruno Gonçalves, José Maçãs de Carvalho e Rui Xavier.
A Plataforma Revólver agradece a todos os que colaboraram -acima mencionados- na exposição.



Fotografias 94-05:

As fotografias de Pedro Loureiro são mais do que fotografias jornalísticas. As suas imagens filiam-se na linha de significativos fotógrafos que usam a camera como um substituto da escrita.
Assim a fotografia adquire espessura documental e ganha uma expressão tão significativa como o texto: abrimos uma revista ou jornal e encontramos uma página cheia com uma imagem, sem texto (“O Independente”, na década de 90 ou a “Grande Reportagem”), e somos transportados para um cenário de violência urbana (um emigrante português, armado, no seu supermercado de Joanesburgo – “Joanesburgo #5”- ; a agressividade em potência, a capacidade militarista do homem, capaz de se defender, e enfim, o inusitado de alguém armado a dirigir um espaço de que dependemos para sobreviver na grande cidade); ou para a presença de uma família, em Cabo Verde (“Baía das Gatas”- a ausência da mulher/mãe é fulcral na significação daquele universo); para uma rua de Macau, onde uma avó protege o neto, com o seu abraço (a família nuclear chinesa depende, absolutamente, dos avós: substitutos dos pais durante os primeiros anos da criança) ou para o quotidiano dependente de Luiz Pacheco, onde a irreverência do escritor é reforçada pela postura mimética e cúmplice da funcionária que, porventura, o trata.
Quando a fotografia tem a capacidade de construir leituras particulares de determinado universo, através da depuração visual e do enfoque em pormenores pregnantes, estamos perante um discurso autónomo, para a fotografia como expressão e para o documentalismo como espaço de aprendizagem.
Outra particularidade destas imagens é o cuidado colocado no desenho dos contextos, carregados de informação sociológica sem desvalorizar a plasticidade da imagem, o que acentua a singularidade de cada um dos personagens que Pedro Loureiro regista. São pessoas, mas tornam-se personagens, porque sentimos que cada um pertence a universos capazes de conterem narrativas pessoais, quase sempre protagonistas de dramas ou tragédias de interesse universal. A realização destas imagens é feita com a cumplicidade dos retratados, trazendo para a fotografia documental o carácter ético que tem vindo a perder em favor da massificação das imagens, na imprensa.

José Maçãs de Carvalho, Abril de 2006



Pedro Loureiro

Estudou fotografia (1989 a 1991) na MI 21 / Ecole des Arts et Metiers de l’image-, em Paris; de 1991 a 1998 foi fotógrafo do jornal Semanário “ O Independente ”; em 1996 foi bolseiro do Programa comunitário Leonardo da Vinci, em Paris.Em 2002 é co fundador da Kameraphoto, agência de fotógrafos e da K Galeria em 2005. 1998 a 2005 foi fotógrafo da revista“ Grande Reportagem”, actualmente é editor de fotografia da revista “Notícias Sábado (NS)”
Nestas publicações marcou, significativamente, a imagem visual das mesmas com as suas fotografias, de formato quadrado, (outra das suas marcas pessoais), contribuindo para a afirmação da fotografia ética, na imprensa portuguesa.
Também já publicou fotografias e portfolios em: “ Ler ”, “ Vida Mundial”, “ Cosmopolitan”,“ Elle”,“ Dna”(Diário de Noticias), “ Volta ao Mundo”, “ Semanário Económico”, “ The Telegraph ”, “ The On Sunday telegraph”, “ Le Monde ”, “ The Guardian ”, “ National Geographic Magazine”, “ Le Point”, “ L’Express”, “ Jornal du Diamanche”, “ People@.pt “, “ La Croix”e “New York Times”, “Liberation”. Entre outros.





A Plataforma Revólver, núcleo da Contemporaneidade, tem como objectivo primordial funcionar enquanto instrumento de difusão, oferecendo possibilidades aos artistas plásticos de poderem dar a conhecer o seu trabalho, colmatando, deste modo, um dos problemas fundamentais com que se debatem os novos criadores: a dificuldade em encontrar um lugar a partir do qual se façam conhecer, expressando-se e, simultâneamente, receber o contacto com o público – vital para que os seus projectos evoluam - submetendo-se ao seu olhar, olhar esse que poderá ser absolutamente crítico ou complacente.

Neste sentido, a Plataforma Revólver apoia e estimula a criação de arte contemporânea, fornecendo um ambiente no qual os artistas podem expôr trabalho inconvencional e trocar ideias com os seus pares. Com este intuito, são produzidas exposições não comerciais e temporárias, cuja composição é ditada, por um lado, por um comissariado exterior à direcção do espaço, por outro, pelo enfôque que dão ao papel da arte no desenvolvimento da cultura cívica e do pluralismo.



Cheguei de pernas cansadas
à plataforma vertiginosa...
Aqui tens o inocente revólver
para a eternidade.

Al Berto in O Anjo Mudo




Registe-se para receber os convites das nossas exposições:

Nome:

Email:

Telefone:

Morada:

Localidade:

Código Postal:


Insira os caracteres:


From online viagra generic india buy cialis walmart pharmacy viagra cream buy levitra pills, propecia amazon vardenafil tablets.
Generic no prescription viagra buy from tadalafil 20 india mg levitra online vardenafil buy buy finasteride 1mg, tablet is what tadalafil online india tadalafil.
Online viagra india from vs better levitra cialis over the viagra natural alternatives counter http://www.socgeografialisboa.pt/buy-cialis-uk-site/ buy cheap cialis online uk, viagra kaufen tablet picture generic of cialis.
Cialis at prices walmart levitra viagra cialis http://www.saludos.com/healthcare/hchome.htm viagra vs cialis sildenafil jelly http://www.saludos.com/award.htm ed pills, india how purchase viagra to in viagra 100mg soft.
To get for viagra how free uk day delivery cheap viagra next viagra can buy you http://www.socgeografialisboa.pt/generic-cialis-softtab/ buy cialis tadalafil online, canada buy viagra online tadalafil generico 20mg.
Viagra et ejaculation online buy uk cialis viagra in holland http://www.socgeografialisboa.pt/levitra-uk-online/ levitra vs cialis, best levitra viagra or with pay buy paypal viagra.
Cialis levitra viagra comparison cost generic cost propecia dosage information levitra http://www.socgeografialisboa.pt/levitra-vs-cialis-better/ buy cheap cialis online, tablet 100mg viagra india price in buy online tadalafil.