Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Casa Aberta


Henrique Neves
Arquivo Municipal de Lisboa/Núcleo Fotográfico, Lisboa

COLECTIVA


Finalistas de Pintura da Belas Artes 15´16
Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa

CASTAS


Colectiva
Herdade do Rocim,

ENSAIOS (SOBRE A MESA) - A partir da coleção do Museu de Lisboa


COLECTIVA - alunos da pós-graduação em Curadoria de Arte,
Galeria Quadrum, Lisboa

Sever


Ana Lupaș, Beatrice Marchi, Christodoulos Panayiotou, Eloise Hawser, Gonçalo Preto, Jason Dodge, Joanna Piotrowska, Namsal Siedlecki, Nick Bastis
Galeria Boavista, Lisboa

Um campo depois da colheita para deleite estético do nosso corpo


Alberto Carneiro
Culturgest (Porto), Porto

Now and Ever | Oliveiras


Renée Gagnon
Museu das Comunicações, Lisboa

Raio X de uma prática fotográfia


FERNANDO GUERRA
,

Where and When


Ana Jotta, Daniel Gustav Cramer, Gil Heitor Cortesão, Luís Paulo Costa and Paulo Brighenti
Galeria Pedro Cera, Lisboa

Cartazes Cubanos da OSPAAAL 1960-1980


Colectiva
ZDB - Galeria Zé dos Bois, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 

share |

ANA SANTOS

Matryoshka




GALERIA QUADRADO AZUL (PORTO)
Rua Miguel Bombarda, 435
4050-382 PORTO

17 JUN - 31 JUL 2017


Inauguração: 17 Junho, às 16h, na Galeria Quadrado Azul, no Porto

Ana Santos apresenta na exposição matryoshka algumas peças que surpreendem pelo tom, escala, liberdade e precisão no uso dos materiais organizados a partir de um eixo vertical.

A lógica de construção em cada uma delas ecoa a tradição do haiku Japonês, que traz as palavras à presença física de uma vibração. Ana Santos atende à razão dos materiais eles próprios e manipula-os até acertar. Nem mais, nem menos. O modo de juntar, sobrepor, cortar, torcer, transforma a colagem em subtracção. A operação é varrer enquanto cose-cozinha os pequenos acidentes. O varrimento vem depois de uma atenção demorada, fazendo o espaço em volta acontecer à justa.

Francisca Carvalho


Ana Santos nasceu em Espinho, em 1982. Vive e trabalha em Lisboa. Licenciou-se em Escultura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto (2005) e concluiu o mestrado em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias na Universidade Nova de Lisboa (2010). Foi a vencedora da 10ª edição do Prémio Novos Artistas Fundação EDP em 2013. Foi artista em residência no International Studio & Curatorial Program, em Nova Iorque (2010-2011), com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, e no programa O Sítio das Artes, da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa (2007); frequentou o curso de Artes Visuais do programa Criatividade e Criação Artística, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian (2006); e estudou na Staatliche Akademie der Bildenden Kunst, em Karlsruhe (2004).

Das exposições mais recentes, destacam-se as individuais Stanza, na galeria The Goma, em Madrid (2015); na galeria Quadrado Azul em Lisboa (2015); e Trabalho, no Chiado 8 – Arte contemporânea, Lisboa (2012); e as colectivas Conversas: Arte portuguesa recente na Coleção de Serralves no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (2016); Au sud d´aujourd´hui, na Foundation Calouste Gulbenkian, em Paris (2015); The Lulennial: A Slight Gestuary, com curadoria de Fabiola Iza e Chris Sharp, em Lulu, na cidade do México (2015); Acervo. Artistas Portugueses en la Colección Novacerrada, no Centro de Arte Alcobendas, Madrid (2014); Aprender a Caer, em La Casa Encendida, Madrid (2014) e In Back of the Real, ISCP – International Studium and Curatorial Program, Nova Iorque (2011).