Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Esgotaram-se os nomes para as tempestades


Tatiana Macedo
Culturgest (Porto), Porto

Vigilância


Júlia Ventura
Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, Coimbra

A terceira margem e as ruínas circulares


João Seguro
Galeria do Parque de Escultura Contemporânea Almourol, Vila Nova da Barquinha

ÁLVARO LAPA: NO TEMPO TODO


ÁLVARO LAPA
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Orbes


JORGE MARTINS/RITA TABORDA DUARTE
Galeria Ratton, Lisboa

Ver não é tão importante como sentir


MARIA LASSNIG
Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Todas as Histórias


Vasco Araújo
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

A Linguagem das Plantas


Jorge Santos
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

Planta Espelho


José Pedro Cortes
Galeria Francisco Fino, Lisboa

Now it is Light


Coletiva
Galeria Boavista, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 

share |

GORDON MATTA-CLARK

Splitting, cutting, writing, drawing, eating…




CULTURGEST
Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos, Rua Arco do Cego
1000-300 LISBOA

13 OUT - 07 JAN 2018


Inauguração dia 13 de outubro, às 22h, na Culturgest

Curadoria Delfim Sardo e João Ribas

Gordon Matta-Clark (1943-1978) foi um dos mais marcantes artistas
nova-iorquinos da sua geração, apesar da sua curta carreira, subitamente interrompida pela morte prematura.
Arquiteto com formação realizada na Universidade de Cornell,
Matta-Clark desenvolveu uma obra intensa na qual as intervenções no espaço público e sobre edifícios, o caráter performativo, a prática do desenho e do cinema se cruzaram de forma inseparável. A efemeridade das suas intervenções, que só chegaram até nós por via da documentação que o artista produziu, reflete uma consciência do tempo presente que sempre constituiu o fio condutor da sua prática artística.
A presente exposição, produzida em conjunto com o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, apresenta parte do espólio do artista depositado no Canadian Centre for Architecture (resultado de uma importante doação da sua viúva, Jane Crawford) e que representa o maior repositório documental sobre a sua obra. Partindo de um conjunto de verbos que exprimem as atividades centrais do seu trabalho (separar, cortar, escrever, desenhar, comer), a exposição mergulha nos textos, cadernos de anotações, desenhos, filmes e fotografias de Gordon Matta-Clark para desatar um pouco da complexa meada do seu legado, no qual a arte, a arquitetura e um prazer omnívoro pela vida se entrelaçam.