Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

O Lago


Maria Condado
Espaço Amoreiras, Lisboa

Contrato (a tempo indeterminado)


Ângela Ferreira e Fernando José Pereira
Museu Internacional de Escultura Contemporânea, Santo Tirso

Pure Emulsion


José Luís Neto
CAV - Centro de Artes Visuais, Coimbra

Pós-Pop. Fora do lugar-comum


Colectiva
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Chama-ficção


Ana Mata e Catarina Domingues
Módulo – Centro Difusor de Arte (Lisboa), Lisboa

A Gregos e a Troianos


Isaque Pinheiro
Caroline Pagès Gallery, Lisboa

SUSPENSÃO E DEPENDÊNCIA


RUI MATOS
Salão Belas Artes, Lisboa

Lisboa, Cidade Triste e Alegre: Arquitetura de um livro


Victor Palla e Costa Martins
Museu da Cidade - Pavilhão Preto, Lisboa

A Hora do Diabo


Joanna Latka
Galeria das Salgadeiras (Atalaia), Lisboa

The city in my mind or the fear of my sky


Flávio Andrade
A Pequena Galeria, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 

share |

MARIA CONDADO

O Lago




ESPAÇO AMOREIRAS
Rua D. João V nº 24
1250-091

26 ABR - 31 MAI 2018


INAUGURAÇÃO: 26 de Abril, 18h30



O Lago é a próxima exposição de Maria Condado, composta por apenas uma pintura. Inserida no átrio do Espaço Amoreiras, O Lago é uma pintura que pode ser vista de longe, de perto e junto das suas margens. A proposta de Maria Condado é um convite ao espectador a mergulhar no espaço ilusório e percorrer o gesto que a pintura cristaliza.

O trabalho de Maria Condado centrado no campo da paisagem, mostra a dicotomia entre a natureza e elementos industriais ou arquitetónicos, por vezes pontuada por presenças humanas. Nos últimos anos, a ideia de jardim como construção humana tem sido reincidente na obra desta artista. O lado artificial dos jardins nos espaços da cidade contempla gosto pelo exótico, a ideia de paraíso ou suspensão da rotina e necessidade de ordenação, através da delimitação espacial das espécies, margens e caminhos.

A pintura O Lago revela um espaço de escolhas da artista, que aumenta elementos da composição, selecionando diferentes distâncias de leitura das espécies de plantas, flores e árvores, propondo um percurso dinâmico à volta deste lago imaginado.

A exposição inclui um texto crítico do curador Lourenço Egreja.


:::


Maria Condado nasceu em 1981, e atualmente vive e trabalha em Lisboa. É licenciada em Pintura pela FBAUL, no ano de 2004, e completou em 2015 a Pós-Graduação em Jardins e Paisagem pela FCSH em Lisboa. Das suas exposições individuais destacam-se Do azul faz-se o verde(2017), na Galeria Carolinès, de Lisboa; Trabalho de Campo(2013), no Next Room; Jardim Botânico (2009) e Promised Land (2007), na Galeria Carolina Pagès, em Lisboa. Das exposições colectivas salientam-se Onde é a China? (2014), Museu do Oriente, Lisboa; 16º Programa de Exposições (2014), Carpe Diem Arte e Pesquisa, Lisboa; Pavilhão de Portugal (2009), Hangar-7, Salzburgo, Áustria, e Vestígio (2008), Hospital Júlio de Matos. Em 2017 o seu livro de artista Hortus foi editado pelo Stolen Books.