Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Once in a lifetime [repeat]


João Onofre
Culturgest, Lisboa

João Drei


Gijs Milius e Sophie Nys
In Spite Of, Porto

Fermata


João Ferro Martins
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra

FUNÂMBULO


DANIEL FERNANDES
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

Moi je suis la langue et vous êtes les dents


Yto Barrada
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Murro no Estômago


Colectiva
Galeria Boavista, Lisboa

Anima Mea


Alexandre Conefrey
Galeria Ala da Frente, Vila Nova de Famalicão

WAIT


Colectiva
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Muitas vezes marquei encontro comigo próprio no ponto zero


Colectiva
Atelier-Museu Júlio Pomar, Lisboa

Vicente. O Mito em Lisboa


Colectiva
Museu da Cidade - Pavilhão Preto, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


COLECTIVA

Prémio Navigator Arte em Papel




CHIADO 8 ARTE CONTEMPORÂNEA
Largo do Chiado, n.º8
1249-125 LISBOA

17 JUL - 14 SET 2018


INAUGURAÇÃO: 17 de Julho, 18h30


1ª exposição do Prémio Navigator Arte em Papel


Finalistas:

FRANCISCA CARVALHO
HAIG AIVAZIAN
PEDRO A.H. PAIXÃO
SEULGI LEE
SHREYAS KARLE


Mais informação sobre os finalistas: http://navigatorartonpaper.com/premio-arte-em-papel/finalistas/


:::

Prémio Navigator Arte em Papel
Um prémio de dimensão internacional que pretende apoiar a criação artística em papel, valorizando-o como um dos mais nobres suportes de inovação, criatividade, investigação e arte. Trata-se de um prémio por nomeação, aberto a artistas de todo o mundo que utilizem o papel como suporte para a criação, seja ela pintura, desenho, ilustração, gravura, escultura, colagem ou impressão. Numa época em que as fronteiras entre as disciplinas artísticas se dissolvem, o papel pode ser considerado como um elemento consolidador da prática artística.

Este é o primeiro prémio em Portugal e o maior internacionalmente a valorizar o papel como suporte para a criação artística.

Concedido anualmente, o Prémio inicia-se com a nomeação dos artistas por um júri internacional composto por curadores, diretores de museus e instituições de prestígio nacional e internacional.

Cada membro do Júri nomeia três artistas com mais de 10 anos de carreira expositiva cujo percurso – utilizando o papel como meio principal de expressão – que se tenha distinguido no plano nacional e internacional nos últimos três anos.

Os membros do júri analisam e discutem entre si os portfólios dos 15 selecionados. Deste processo, sairão cinco finalistas e, o mesmo júri escolherá o autor vencedor. Estes finalistas farão uma exposição das suas obras em julho, ocasião na qual será lançado um catálogo oficial do prémio. Do prémio monetário de 50.000 euros, 30 mil serão entregues ao vencedor e 5 mil euros a cada um dos restantes quatro finalistas.