Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Outros Portos - Outros Olhares


Margarida Gouveia, Mina Ao, Peng Yun, Xing Danwen, O Zhang
Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, Porto

Exposição colectiva


Gonçalo Barreiros + John Wood and Paul Harrison
Galeria Vera Cortês (Alvalade), Lisboa

O Mergulho


Pedro Gomes
Casa das Artes de Tavira, Tavira

19_20


Sandra Baía
Travessa da Ermida, Lisboa

ARQUIVO DE DESTRUIÇÃO


PEDRO LAGOA
Culturgest, Lisboa

Neste corpo não há poesia


Bárbara Fonte
CAAA - Centro para os Assuntos de Arte e Arquitectura, Guimarães

Público/Privado - Doce Calma ou Violência Doméstica?


COLECTIVA
Centro de Artes de Sines, Sines

The Soft and Weak Are Companions of Life


Zheng Bo
Kunsthalle Lissabon, Lisboa

Pequenas Notas sobre Figuração


Eugénia Mussa, Daniel V. Melim e Thomas Braida
Monitor, Lisboa

Inhale, Exhale (self-breathing kit)


Paulo Arraiano
Travessa da Ermida, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ANABELA SOARES

O dia em que perdi o pé




MUSEU BORDALO PINHEIRO
Campo grande, 382
1700-097 LISBOA

10 MAR - 10 MAI 2020


Inauguração: 10 Março, 18h30, no Museu Bordalo Pinheiro


O dia em que perdi o pé
Exposição de Anabela Soares

(Exposição realizada em colaboração com o MANICÓMIO)



“Nunca percebi o certo ou errado, nem sei quantificar caminhos. Anabela é um certo errado, um caminho: O dia em que perdi o pé é o dia em que Anabela encontrou o seu.
Todas as suas esculturas, de um imaginário não imaginativo, são espelho de uma passagem passiva-agressiva, de relações, de encontros, de inseguranças e medos.
O dia em que perdi o pé é o diálogo de um encontro de Anabela com Bordalo – em tempos diferentes, mas igual na necessidade do fazer. Este fazer constante, este talento que se molda inexoravelmente em formas de barro, faz prova do seu reconhecimento do outro, da brincadeira séria, do valor honesto, da autenticidade.”

Anabela em Bordalo



O Museu Bordalo Pinheiro apresenta a exposição "O dia em que perdi o pé", de Anabela Soares. A mostra que vai ocupar um núcleo expositivo e contaminará a galeria de exposições permanente do Museu, resulta da residência artística realizada por Anabela Soares no Museu Bordalo Pinheiro entre finais de fevereiro e inícios de março de 2020, em parceria com o projeto MANICÓMIO.


:::

Anabela Soares (Anadia, 1969) começou a trabalhar no atelier do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa em 2013. Em 2015, a sua escultura “Urso” integrou a exposição coletiva “Deslocado” no Pavilhão 31, com diversos artistas brasileiros, como Alexandre Baltazar e Rafael Uzai. Também no 31, em 2016, participou com peças de cerâmica na exposição coletiva “Entrevista” com Emir Kusturica. Em Janeiro de 2019 expôs na Chiado8 para “Insubordinar”. Fez parte da representação de artistas portugueses na “Outsider Art Fair 2020” em Nova Iorque. É co-autora dos vídeos “Arte” e “Pátio das Emoções”. As suas obras estão em diversas coleções particulares. Anabela Soares faz parte do MANICÓMIO desde 2018.