Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Outros Portos - Outros Olhares


Margarida Gouveia, Mina Ao, Peng Yun, Xing Danwen, O Zhang
Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, Porto

O Mergulho


Pedro Gomes
Casa das Artes de Tavira, Tavira

19_20


Sandra Baía
Travessa da Ermida, Lisboa

ARQUIVO DE DESTRUIÇÃO


PEDRO LAGOA
Culturgest, Lisboa

Neste corpo não há poesia


Bárbara Fonte
CAAA - Centro para os Assuntos de Arte e Arquitectura, Guimarães

Público/Privado - Doce Calma ou Violência Doméstica?


COLECTIVA
Centro de Artes de Sines, Sines

The Soft and Weak Are Companions of Life


Zheng Bo
Kunsthalle Lissabon, Lisboa

Pequenas Notas sobre Figuração


Eugénia Mussa, Daniel V. Melim e Thomas Braida
Monitor, Lisboa

Inhale, Exhale (self-breathing kit)


Paulo Arraiano
Travessa da Ermida, Lisboa

Leap of Faith


COLECTIVA
No.No, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


JULIÃO SARMENTO

A linha que fecha também abre




MUSEU NACIONAL DE ARTE ANTIGA
Rua das Janelas Verdes
1249-017 LISBOA

18 MAI - 26 JUL 2020


Inauguração: 18 Maio, patente até 26 Julho 2020.
Piso 1/Sala 50/Sala do Tecto Pintado



A linha que fecha também abre
de Julião Sarmento

Curadoria: João Pinharanda


Na parede de uma exposição dedicada ao desenho florentino do Renascimento e suas extensões ibéricas, obras da autoria ou atribuídas a Baccio Bandinelli, Luca Cambiaso, Corregio, Pontormo e Francisco Venegas, flutuando entre diferenças ou desvios de forma e de conteúdo, estabeleceriam entre elas, ainda assim, laços previsíveis. A presença, nesse conjunto, de algumas obras de Julião Sarmento vem perturbar e desequilibrar as sequências temporais, temáticas ou estilísticas que poderíamos estabelecer entre artistas pertencentes a um fundo cultural e cronológico comum.
A exposição, assim pensada, possibilita-nos a abertura de caminhos inesperados entre cada um dos elementos em jogo, a abertura de múltiplos sentidos entre o passado, o presente e o futuro. Uma vez que a relação encontrada entre esses elementos díspares não é natural nem era previsível antes de ter acontecido, apresenta-se, nesta sala do Museu Nacional de Arte Antiga, o futuro destes desenhos renascentistas ao mesmo tempo que se representa o passado dos desenhos de Julião Sarmento. Não se trata de descobrir uma genealogia mas de a inventar ou de não a considerar sequer; não se trata da fechar um círculo mas de o abrir indefinidamente.