Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Ciclo de cinema


Manoel de Oliveira Integral – O Visível e o Invisível
Cinemateca, Lisboa

19ª sessão do Ciclo Colecionar Arte


Pedro Alvares Ribeiro+José Pedro Croft
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Ciclo de encontros, conversas e performances


Questões práticas: desaprender continuamente
Centro de Memória de Vila do Conde, Vila do Conde

LUZAZUL


Masterclass com Miguel Soares
FBAUP - Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Porto

Dissecação de Um Cisne


Miguel Bonneville
Teatro São Luiz, Lisboa

CHELSEA GIRLS


Andy Warhol
Cinemateca, Lisboa

www.we want waffles #1


JOÃO ESTEVENS
ESPAÇO ALKANTARA , Lisboa

Moi, Corinne Dadat


Mohamed El Khatib
Teatro Nacional D.Maria II, Lisboa

A Gulbenkian e o Cinema Português III


Ciclo de Cinema
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Bernardo Pinto de Almeida


Arte e Infinitude
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


HENRI MICHAUX, ERIC DUVIVIER E GEORGES PEREC E BERNARD QUEYSANNE

IMAGES DU MONDE VISIONNAIRE / UN HOMME QUI DORT




MUSEU DE SERRALVES - MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA
Rua D. João de Castro, 210
4150-417 PORTO

25 FEV - 25 FEV 2018


Auditório de Serralves | 18h00 - 20h00 | 25 FEV 2018

Henri Michaux, Images du Monde Visionnaire, 1964, 34 min.
Produzido para a farmacêutica suíça Sandoz, conhecida por ter sintetizado o LSD em 1938, Imagens do Mundo Visionário, de Henri Michaux e Eric Duvivier é um filme educativo sobre os efeitos alucinogénios da mescalina e do haxixe. O filme propõe mostrar os diferentes tipos de imagens, bem como o modo específico como elas aparecem e desaparecem na imaginação de um indivíduo exposto a estes psicotrópicos.

Georges Perec e Bernard Queysanne, Un homme qui dort, 1974, 77 min. (Imagem)
História de um estudante de sociologia que uma manhã se recusa a sair da cama, Um Homem que Dorme é, também – e na senda do imaginário pós-Maio de 1968 –, o retrato de um jovem que entra em estado de hibernação, numa indiferença absoluta e dissidência radical da sociedade de consumo. A reflexão desenvolvida por Perec em torno do infra-ordinário conjuga-se, neste filme, com renúncia de fundo onde se pensam as fronteiras entre a loucura e a lucidez extrema.