Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA

Outras recomendações:

Retrospetiva integral da obra cinematográfica


Michael Snow e Peggy Gale
Cinemateca, Lisboa


Lançamento da revista Propeller # 3
A Padaria do Povo, Lisboa

Problematizar a realidade – encontros entre arte, cinema e filosofia


Alain Brossat e Jean-Gabriel Périot
Goethe-Institut Portugal, Lisboa

CICLO PERFORMATIVO GEOMETRIA SÓNICA


Pedro Tudela e Miguel Carvalhais + Rafael Toral
Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, Ribeira Grande - Açores

14ª edição da ANIMAR


Cinema de animação
Solar - Galeria de Arte Cinemática, Vila do Conde

COSMO/POLÍTICA #3: O Mundo Começou às 5 e 47


Hugo Canoilas, Miguel Castro Caldas e Tatiana Macedo
Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira

20ª Sessão do Ciclo Colecionar Arte


Ana Marin/Jorge Gaspar e Raquel Guerra
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

PRÉMIO BÁRBARA VIRGÍNIA


Júlia Buisel
Cinemateca, Lisboa

Eu sou um nómada


Carlos Bunga
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

JOAN MIRÓ E A MORTE DA PINTURA


JOAN PUNIET MIRÓ E MARKO DANIEL
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


VERA MANTERO

As Práticas Propiciatórias dos Acontecimentos Futuros




CULTURGEST
Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos, Rua Arco do Cego
1000-300 LISBOA

29 MAI - 31 MAI 2018


Espetáculo integrado no Alkantara Festival: nos dias 29, 30 às 21h e 31 às 19h, na Culturgest

Ernesto de Sousa (1921-88), um artista multidisciplinar, curador, realizador e crítico de arte, próximo do movimento Fluxus, recebeu uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian para fazer um levantamento fotográfico à escala nacional da escultura portuguesa de expressão popular, entre 1966 e 1968. Fotografou trabalhos e entrevistou artistas de norte a sul do país, demonstrando um interesse semelhante ao que outros pensadores e artistas da sua geração desenvolveram por "uma outra História da Arte" ou até "anti-arte".

Paula Pinto, historiadora de arte e pesquisadora deste arquivo, propôs a Vera Mantero desenvolver uma apresentação performativa em torno deste material. Mantero viajou para alguns dos destinos visitados por Ernesto de Sousa, estudando as questões levantadas por este arquivo e iniciando em torno deste uma "pesquisa através do corpo e da ação".

As Práticas Propiciatórias dos Acontecimentos Futuros é o que Ernesto de Sousa dizia procurar na arte popular. Uma arte na qual ele reconhecia a existência de autores e não apenas formas tradicionais transmitidas, uma arte de soluções formais em vez de simples repetição de padrões.

Como habitualmente no seu trabalho, Mantero explora imagens, objectos e textos, além de materiais puramente coreográficos. Aqui, olha não só para os estudos de Ernesto de Sousa em torno da arte popular como também para o impressionante trabalho intermedia de Sousa, cartografando as ligações possíveis (e impossíveis) entre arte popular e erudita, arcaica e contemporânea.