Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

História do Crime


João Louro
Galeria Vera Cortês, Lisboa

15ª Pedra: Manoel de Oliveira e João Bénard da Costa em Conversa Filmada


Rita Azevedo Gomes
Cinemateca, Lisboa

ENSAIOS PARA LIVRO — CARACTERE #2 DO SOM


Sara Vaz e Marco Balesteros
Rua das Gaivotas 6 , Lisboa


1 000 056.ª Aniversário da Arte
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra


Visita orientada | Paula Rego: Anos 80
Casa das Histórias Paula Rego, Cascais

COMER O CORAÇÃO EM CENA


Vera Mantero e Rui Chafes
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

The 1960s in Iraque: Art and Culture


NADA SHABOUT
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

MANOEL DE OLIVEIRA INTEGRAL – O VISÍVEL E O INVISÍVEL (II)


João Botelho, João Mário Grilo, Rita Azevedo Gomes
Cinemateca, Lisboa

Vaivém


Bruno Pacheco e Bruno Marchand
Galeria Quadrum, Lisboa

Ciclo de cinema


Manoel de Oliveira Integral – O Visível e o Invisível
Cinemateca, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


TELECT

Belzebu




TEATRO MARIA MATOS
Av. Frei Miguel Contreiras, 52
1700-213 LISBOA

15 JUN - 15 JUN 2018


Concerto: dia 15 de Junho, às 22h, no Teatro Maria Matos

Em 1983, o duo Telectu escreveu uma importante página da nossa história musical ao compor e editar Belzebu, a primeira obra minimal-repetitiva feita em Portugal. Em 2018, recuamos todos 35 anos para celebrá-la com a solenidade e importância que merece: primeiro, com a reedição em vinil da versão corrigida pelos autores; depois, na sala do Teatro Maria Matos, com este concerto miraculoso que traz a música e as imagens de Belzebu, na íntegra, para os nossos dias.

Com o desaparecimento de Jorge Lima Barreto em 2011, Vitor Rua decidiu convidar António Duarte (cofundador do projeto musical e multimédia DWART em 1985) para reativar Telectu e colocar em prática o plano de reinterpretar algumas das suas obras mais iconográficas. Além de ter acompanhado e participado na carreira musical de Telectu, António Duarte foi adquirindo os instrumentos musicais e adereços relativos às diversas fases do duo, sendo por isso possível ouvirmos Belzebu na sua mais fiel reprodução, e também ver os dispositivos visuais utilizados nos concertos de 1983.

Numa altura em que surge um novo e impressionante interesse internacional pela música e discografia dos Telectu, assistir à interpretação de Belzebu nos dias de hoje reafirma a importância do legado deixado por Jorge Lima Barreto e Vitor Rua, recuperando um dos momentos mais marcantes e definidores da nova música em Portugal.