Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

História do Crime


João Louro
Galeria Vera Cortês, Lisboa

15ª Pedra: Manoel de Oliveira e João Bénard da Costa em Conversa Filmada


Rita Azevedo Gomes
Cinemateca, Lisboa

ENSAIOS PARA LIVRO — CARACTERE #2 DO SOM


Sara Vaz e Marco Balesteros
Rua das Gaivotas 6 , Lisboa


1 000 056.ª Aniversário da Arte
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra


Visita orientada | Paula Rego: Anos 80
Casa das Histórias Paula Rego, Cascais

COMER O CORAÇÃO EM CENA


Vera Mantero e Rui Chafes
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

The 1960s in Iraque: Art and Culture


NADA SHABOUT
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

MANOEL DE OLIVEIRA INTEGRAL – O VISÍVEL E O INVISÍVEL (II)


João Botelho, João Mário Grilo, Rita Azevedo Gomes
Cinemateca, Lisboa

Vaivém


Bruno Pacheco e Bruno Marchand
Galeria Quadrum, Lisboa

Ciclo de cinema


Manoel de Oliveira Integral – O Visível e o Invisível
Cinemateca, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


MIGUEL BONNEVILLE

MB#6 2008-2018 - Miguel Bonneville (integrado no FITEI)




PALÁCIO DO BOLHÃO
R. Formosa 342/346
4000-253

14 JUN - 15 JUN 2018


Espectáculo: dias 14 e 15 de Junho, às 19h, no Salão Nobre do Palácio do Bolhão


MB#6 é uma experiência de narração autobiográfica. Bonneville trabalha sobre a sua história pessoal como momento de profundo encontro existencial entre diversas identidades. Convida algumas mulheres que fazem parte da sua vida para falarem sobre si mesmas, sobre as suas experiências relacionadas com o facto de serem mulheres, adultas, artistas, no formato de vídeo‑retratos.
As histórias de cada uma delas, no entanto, são-nos devolvidas pelo intérprete, numa dobragem ao vivo, que reúne as diferentes histórias sob a mesma voz e as funde, tornando‑as parte de um único grande retrato que descreve uma nova identidade. Dez anos após a estreia da primeira versão, Bonneville cria uma nova versão da performance para 2018.