Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


VIENNA CONTEMPORARY AVANÇA COM EVENTO PRESENCIAL APESAR DO RESSURGIMENTO DA COVID19 E AUMENTO DE RESTRIÇÕES

2020-09-26




Embora o país tenha experienciado recentemente um aumento nos casos de coronavírus e intensificação das restrições em torno de viagens, a Vienna Contemporary, a maior feira de arte da Áustria, está programada para ocorrer de 24 a 27 de setembro, no Marx-Halle. Os organizadores e galeristas fizeram de tudo para que acontecesse, e a organização até tem “representantes Covid-19 dedicados”, reduzindo as taxas de stands em cerca de 50% e obrigando os visitantes a reservar as visitas.

Viena atualmente apresenta 50% do total de casos de Covid-19 na Áustria, e na semana passada foi designada como área de alto risco pela instituição biomédica central da Alemanha, o Instituto Robert Koch. Entre as restrições que afetam a feira, que normalmente atrai públicos da Europa Central e Oriental, esttá a obrigação por parte da Suíça de que todos os que entram no país vindos da Áustria devem ser colocados em quarentena, e na fronteira com a Hungria desde dia 1 de setembro.

Em resposta, a feira, que vai apresentar apenas 65 galerias de 16 países, em comparação com 110 expositores no ano passado, mudou o foco para as galerias locais. “Dadas as limitações externas, podemos destacar as grandes galerias locais e de regiões vizinhas e focar-nos fortemente na qualidade do conteúdo que apresentamos”, disse a diretora da feira, Joanna Chromik.

Expositores e galeristas de países afetados pelas restrições de viagem têm colaborado a distância de forma a trazer os trabalhos para a feira, com alguns a partilharem stands com galerias participantes, e outros a trabalhar com consultores de arte locais para exporem os seus artistas. Espera-se que colecionadores mais jovens, sedentos por eventos presenciais, representem a maior parte dos participantes; enquanto outra parte da feira será apresentada online.

Chromik continua otimista apesar dos muitos obstáculos que a feira enfrenta. “Especialmente porque a cena criativa e artística foi fortemente afetada por estas circunstâncias é ainda mais relevante enviar um sinal forte para a arte contemporânea”, disse.

Fonte: Artforum