Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

A Corrida


Luísa Abreu
SALA 117, Porto

Leap of Faith


COLECTIVA
No.No, Lisboa

Homework


COLECTIVA
Madragoa, Lisboa

A linha que fecha também abre


Julião Sarmento
Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa

Lourdes Castro: A vida como ela é


Lourdes Castro
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Phytographia Curiosa


Inez Teixeira
Casa Atelier Vieira da Silva, Lisboa

Arthur Jafa: Uma série de prestações absolutamente improváveis, porém extraordinárias”


Arthur Jafa
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Semente Exterminadora


Pedro Neves Marques
Galerias Municipais de Lisboa, Lisboa

Fortunate Islands


Susana Gaudêncio
Carlos Carvalho Arte Contemporânea, Lisboa

O dia em que perdi o pé


Anabela Soares
Museu Bordalo Pinheiro, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


FLÁVIO ANDRADE

The city in my mind or the fear of my sky




A PEQUENA GALERIA
Av. 24 de Julho 4C
1200-109

06 ABR - 06 ABR 2018


inauguração dia 6 de Abril, às 18h, na Pequena Galeria

O trabalho The city in my mind or the fear of my sky que Flávio Andrade apresenta n’ A Pequena Galeria revela uma persistente procura pelas entranhas da vida, no espaço urbano. O seu interesse pela cidade como lugar descolado do real permite-lhe percorrer geografias imaginárias, onde os lugares fazem habitar personagens que se ocupam de tarefas marcadas pela pulsão do desejo. Como diz Flávio, estes personagens “imaginados na cidade ou no campo, situam-se sobretudo, na minha cabeça”, ora condicionados às vicissitudes do quotidiano, ora marcados pela presença de um temor que se sobrepõe à ficção, dando-lhes uma existência mais próxima do real, onde o desejo, a religião, o prazer, o sexo e o sofrimento deixam as suas marcas.

O fotógrafo mergulha no dilema apontado por Jacques Le Goff (Por Amor Às cidades: Conversações com Jean Lebrun) entre a cidade real e a cidade imaginada. Esta dicotomia permite ao sujeito experiências que forçosamente atravessam as várias camadas do tempo e do espaço, instalados na malha urbana. Factores como a pressão, o desgaste, a alienação, a contaminação, o condicionamento de espaço, influenciam as relações entre sujeitos. Para o artista, estas ligações são mais marcadas pelos segredos do que pela partilha.

A cidade é como um corpo colectivo de micro e macro acontecimentos paralelos. O conjunto de fotografias expostas n’A Pequena Galeria apontam para esse sistema de ocorrências simultâneas. A interação entre as imagens orienta o olhar do espectador para um conflito entre a transparência e a opacidade, sugerida nas fotografias. Nesta existência simultânea encontramos ainda os corpos traçados de forma fragmentada, relacionando-se entre eles, como na referência de Le Goff a propósito da ideia dos cemitérios (ou cidade dos mortos), locais que, com o alargamento dos espaços urbanos, deixaram de estar fora da cidade e passaram a estar integrados no seu interior, adaptados como áreas de sociabilização. Este deslocamento abre um campo alargado de geografias imaginárias na relação quotidiana com a morte. No projecto The city in my mind or the fear of my sky esta ideia permanece como mote para uma aproximação às fotografias.

Orlando Franco




Flávio Andrade
(Moita, Portugal, 1964), é formado em Fotografia pelo Ar.co (1998) Centro de Arte e Comunicação Visual. Fotógrafo e artista visual trabalha essencialmente com fotografia e video. Expõe com regularidade. É professor de fotografia.