Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


NORIYUKI HARAGUCHI, FIGURA-CHAVE NA CENA ARTÍSTICA JAPONESA, MORREU AOS 74

2020-09-18




Noriyuki Haraguchi, um dos mais notáveis ​​artistas do pós-guerra no Japão, morreu aos 74 anos. A sua morte foi comunicada na quinta-feira pela sua galeria Fergus McCaffrey, que tem espaços em Nova York e Tóquio.

Haraguchi é considerado uma figura-chave no seu país, o Japão, onde é frequentemente associado a um movimento dos anos 60 conhecido como Mono-ha. Com um nome que significa "Escola das Coisas", o movimento aproveitou materiais industriais ao serviço de pinturas, esculturas e instalações minimalistas que mudaram a perspectiva dos espectadores sobre si mesmos e o que os rodeia.

As obras mais conhecidas de Haraguchi utilizavam óleo de máquina. A sua “obra-prima”, Oil Pool (1971), trata-se de uma piscina de reduzida altura cheia de óleo que funciona como espelho ao refletir o espaço envolvente. Uma versão desta obra foi mostrada na edição de 1977 da Documenta em Kassel, Alemanha, onde Haraguchi se tornou um dos primeiros artistas asiáticos a ser mostrado e que foi posteriormente adquirida pelo Museu de Arte Contemporânea de Teerão no Irão . Em 2017, o museu restaurou a obra, que figura entre os seus acervos mais notáveis.

Haraguchi nasceu em 1946 em Yokosuka, Japão, onde a 7ª Frota da Marinha dos EUA estava sediada. No início da sua vida ele foi exposto às consequências da Segunda Guerra Mundial. O envolvimento com os efeitos da guerra, bem como o fascínio pelos diferentes tipos de indústria estimulados por empresas locais em torno de Yokosuka, continuaram a permear o trabalho de Haraguchi. Em declarações disse que começou a entender a “verdadeira natureza da criatividade quando viu um avião de guerra a sobrevoar a sua cabeça, ainda quando criança.

Durante a década de 1960, enquanto ele estudava na Universidade Nihon em Tóquio, protestos contra a Guerra do Vietname eclodiram no Japão e em todo o mundo. O seu trabalho começou a lidar diretamente com o conflito, e ele começou a recriar com precisão peças das caudas dos aviões de guerra e exibindo-as como esculturas em galerias. (Uma destas trata-se de um empréstimo de longo prazo à Tate Modern em Londres).

Fonte: ARTnews