Links


AS ESCOLHAS DE...


ANA BALONA DE OLIVEIRA

Artecapital

2018-05-29



 

 

 

Ana Balona de Oliveira

Investigadora e curadora independente

_________________________________________________________________________________________________

 
 
 
 

Qual a ultima boa exposição que viu?

Destaco aquela que apresentei há muito pouco tempo a um grupo de visitantes, no contexto da ARCOlisboa 2018: ‘Urban Now: City Life in Congo’, de Sammy Baloji e Filip De Boeck, na Galeria Av. da Índia.

 

© ​Dieter Telemans​

 


Que livro está a ler?

Vários. Neste momento, dedicada a um clássico não suficientemente estudado: o ‘Black Marxism’ do Cedric J. Robinson.


Que música está no topo da sua playlist actual?

Muitas da Dorothy Ashby, por exemplo.

 

 


Um filme que gostaria de rever…

Revejo muitos filmes que amo, mas há tantos que nunca vi e quero ver que concentro a minha energia nestes. Tenho visto muito os cinemas africanos e sul-americanos. Revejo sempre com assombro o ‘Touki Bouki’ e o ‘Badou Boy’ do Djibril Diop Mambéty, o ‘Yaaba’ do Idrissa Ouedraogo, ‘La Noire de...’ do Ousmane Sembène. Neste momento, estou muito curiosa para ver o ‘Zama’ da Lucrécia Martel e o ‘Martírio’ do Vincent Carelli.

 

 


O que deve mudar?

Tanta coisa. Tantas lutas continuam. Falta tanta democracia nas nossas vidas públicas e privadas. A minha luta é sempre a do feminismo interseccional: contra todas as formas de desigualdade, discriminação e opressão em razão do género, da raça, da classe, da sexualidade, etc.


O que deve ficar na mesma?

Ontológica e historicamente falando, nada fica na mesma. Tudo muda, mesmo quando há ciclos de repetição, como o nascer e o pôr-do-sol. A questão é: que mudanças queremos, para que algumas coisas boas se mantenham? Por exemplo, a sobrevivência de várias formas de vida humana e não humana implica uma política de cuidado e de preservação. Mas esse cuidado e essa preservação exigem de todxs nós mudanças urgentes e profundas e muita mobilização política, porque quem detém o poder económico não está interessado neles. Outro exemplo são as políticas públicas em torno do espaço urbano e das cidades que queremos. Há que resistir à falta de regulação, à gentrificação e à turistificação, que estão a expulsar as pessoas dos centros históricos, sem esquecer as várias formas de segregação racial e de classe que há muitas décadas existem nas periferias.


Qual foi a primeira obra de arte que teve importância real para si?

Muitas, não foi apenas uma. Houve um momento determinante, há muito tempo, quando descobri o trabalho de mulheres artistas de várias proveniências a trabalhar nas décadas de 60 e 70, em vários contextos. Ana Mendieta foi uma delas. Carolee Schneemann. Adrian Piper. O Black Arts Movement no contexto britânico também me marcou muito: Sonia Boyce, Lubaina Himid, Keith Piper, Eddie Chambers, Black Audio Film Collective. Depois, uma série de obras de mulheres artistas africanas: Zanele Muholi, Tracey Rose, Otobong Nkanga, entre muitas outras.

 

Sonia Boyce, From Tarzan to Rambo: English Born ‘Native’ Considers her Relationship to the Constructed/Self Image and her Roots in Reconstruction, 1987, Tate Collection.

 

 
Qual a próxima viagem a fazer?

Ao sul.


O que imagina que poderia fazer se não fizesse o que faz?

Apesar da precariedade da minha profissão, gosto muito do que faço.


Se receber um amigo de fora por um dia, que programa faria com ele?

Caminhar pela Lisboa não turística, mostrar-lhe o rio e o mar.


Imaginando que organiza um jantar para 4 convidados, quem estaria na sua lista para convidar? Pode considerar contemporâneos ou já desaparecidos.

4 amigxs, ou então Maya Angelou, Toni Morrison, Angela Davis e bell hooks.


Quais os seus projetos para o futuro?

Conversas, encontros, escritas, exposições, leituras, viagens, filmes, ensinar e, acima de tudo, aprender.

 




Outros artigos:

2018-09-28


LUDGERO ALMEIDA
 

2018-08-23


ADRIANA MOLDER
 

2018-06-27


VÂNIA ROVISCO
 

2018-05-29


ANA BALONA DE OLIVEIRA
 

2018-04-18


AIRES DE GAMEIRO
 

2018-03-17


PEDRO PIRES
 

2018-01-26


RUI NETO
 

2017-12-22


EUNICE GONÇALVES DUARTE
 

2017-11-18


ILIDIO CANDJA CANDJA
 

2017-10-16


RUI GUEIFÃO
 

2017-09-02


DIOGO DA CRUZ
 

2017-07-26


FRANCISCO CAMACHO
 

2017-06-29


MIGUEL BONNEVILLE
 

2017-05-31


JOSÉ FILIPE COSTA
 

2017-04-27


INÊS TELES
 

2017-03-24


MARIA JOÃO MACHADO
 

2017-02-11


JOÃO LAGARTO
 

2017-01-17


MIGUEL CLARA VASCONCELOS
 

2016-12-15


ANDREA BRANDÃO
 

2016-11-09


SÓNIA BAPTISTA
 

2016-10-02


DANIEL JONAS
 

2016-07-27


SÃO JOSÉ CORREIA
 

2016-06-28


BRUNO CIDRA
 

2016-05-17


ANDRÉ ROMÃO
 

2016-04-23


ELISA PÔNE
 

2016-03-15


SOFIA MARÇAL
 

2016-02-11


JORGE DA COSTA
 

2015-12-31


MÁRIO TEIXEIRA DA SILVA
 

2015-11-30


FABRICE ZIEGLER
 

2015-10-21


PEDRO BERNARDES
 

2015-09-16


CRISTINA ATAÍDE
 

2015-07-28


BÁRBARA FONTE
 

2015-06-24


ÂNGELA FERREIRA
 

2015-05-10


SÃO TRINDADE
 

2015-04-13


JOSÉ RAPOSO
 

2015-03-17


LUÍS SILVA
 

2015-02-09


JOSÉ MAIA | MANUEL SANTOS MAIA
 

2015-01-06


JOÃO PINHARANDA
 

2014-12-03


JOSÉ MAÇÃS DE CARVALHO
 

2014-11-08


NAMALIMBA COELHO
 

2014-09-26


RITA BARROS
 

2014-09-02


ALBUQUERQUE MENDES
 

2014-07-25


ANTÓNIO OLAIO
 

2014-06-17


FÁTIMA LAMBERT
 

2014-05-12


HUGO BARATA
 

2014-04-17


ANA RITO
 

2014-03-13


MIGUEL BRANCO
 

2014-02-12


JOÃO FONTE SANTA
 

2014-01-06


MARINA BAIRRÃO RUIVO
 

2013-11-29


ANTÓNIO CARAMELO
 

2013-10-29


XANA
 

2013-09-18


DANIEL BLAUFUKS
 

2013-08-12


MIRIAN TAVARES
 

2013-07-11


SÉRGIO MAH
 

2013-06-14


LUÍS ALEGRE
 

2013-05-01


PEDRO CABRAL SANTO
 

2013-04-03


MANUEL JOÃO VIEIRA
 

2013-03-11


PEDRO BARATEIRO
 

2013-02-05


SARA & ANDRÉ
 

2013-01-02


ANDRÉ GOMES
 

2012-12-03


JOÃO ONOFRE
 

2012-11-05


JOSÉ LUÍS NETO
 

2012-10-09


LÚCIA MARQUES
 

2012-09-10


INEZ TEIXEIRA
 

2012-08-07


VASCO ARAÚJO
 

2012-07-04


NUNO CERA
 

2012-06-14


JULIÃO SARMENTO