Links

share |

MÚSICA


SKY FERREIRA – MORE THAN MY IMAGE

ARTECAPITAL

2014-01-15



Sky Ferreira – More than my image


Night Time, My Time é o álbum de estreia de Sky Ferreira, depois de cinco anos de preparação e de alguma expectativa por parte do público, habituado a notícias sobre drogas, depressões e outras mediatizações sobre a jovem modelo e cantautora electropop de 21 anos.

 

Fotografia de Sandy Kim, para a revista Issue87.

 


Eu sou mais do que apenas aquela canção

Sky Ferreira cresceu na zona de Venice Beach, em Los Angeles, numa família de ascendência portuguesa e brasileira. Começou por colocar vídeos de versões de canções pop no YouTube, atraindo a atenção da Capitol Records que lhe ofereceu, segundo ela, um contrato para a transformar numa cantora do Myspace, ao estilo “girl next door”. Depois de ter passado a adolescência a batalhar dentro da editora para fazer ouvir a sua voz, a projecção aconteceu em 2012 com a canção Everything Is Embarrassing, que escreveu juntamente com Dev Hynes.

 


 

A canção ajudou à popularidade, chegando a estar no top no final desse ano, e estabeleceu a imagem de marca da cantora. A ideia era aproveitar o sucesso do momento e lançar ainda nesse ano um álbum, no entanto, devido a alterações na agência, a estreia de Sky Ferreira foi adiada. Por muito importante que tenha sido esse êxito, Sky afirma que este novo álbum que lançou agora vem provar que ela é muito mais do que apenas aquela canção.

 

 

Night Time, My Time

Neste novo álbum lançado em 2013 e reconhecido pela crítica, há uma série de temas que sobressaem e que continuam a enformar a imagem da cantora: uma certa vulnerabilidade, ansiedade e dúvida. Depois de vários anos a ser divulgada como uma artista pop mainstream, este álbum surge como uma declaração pessoal. “Com Night Time, My Time, eu quis fazer um álbum que me representasse. Algo que eu própria ouviria. Senti que na realidade ninguém me conhecia para lá do que os media e a internet difundiam, então senti que esta era a minha oportunidade para mostrar quem eu era, e como é que cheguei a ser assim. Eu queria trazer à luz mais do que a minha imagem.” [1]

 



Para Sky Ferreira, o álbum teve repercussão no público porque através dele é possível aceder a sentimentos íntimos e traumáticos, resultantes dos abusos sexuais que sofreu na adolescência. “Porque nem toda a gente é feliz. A maior parte das pessoas não está apaixonada e mesmo quando estão sentem-se miseráveis a maior parte do tempo.” [2] Lançar este álbum foi para Sky Ferreira uma forma de comunicar com os fãs e uma maneira destes a verem como uma pessoa real.

 


É o meu corpo

Night Time, My Time também está a dar que falar por causa da imagem que figura na capa, uma fotografia feita pelo realizador Gaspar Noé que mostra a artista em topless no chuveiro. Respondendo aos comentários sobre o carácter provocador da fotografia, Sky Ferreira afirma que não vê nada de sexual na imagem da capa. “A imagem é sobre a vulnerabilidade, tristeza e raiva na minha face, mais do que sobre o meu mamilo. Quando eu vi essa imagem eu soube imediatamente que seria a capa. Controvérsia era a minha última preocupação. Na realidade é tudo sobre perspectiva, não é? O que umas pessoas acham ofensivo ou pornográfico, outras não. Também, o que é a pornografia hoje?” [3]


 

Em 2013 tornei-me eu mesma
Night Time, My Time dá a conhecer duas imagens diferentes de Sky Ferreira, mas que se conjugam para formar uma verdadeira pessoa. Há um lado vulnerável, perturbado e destructivo, mas também uma mulher dura, com uma vontade independente à procura de ser ela própria. É a conjugação dessas duas vertentes que tornam Sky Ferreira numa pop star tão atractiva.

 


[1] Excertos da entrevista de Sky Ferreira à revista Dazed (www.dazeddigital.com)
[2] Sky Ferreira em entrevista ao The Guardian (www.theguardian.com)
[3] Excertos da entrevista de Sky Ferreira à revista Dazed (www.dazeddigital.com)

 

>>>>>>>>>

Sky Ferreira

Soundcloud

Tumbrl



Outros artigos:

2017-11-12


HAARVÖL | ENTREVISTA
 

2017-10-07


GHOSTPOET – “DARK DAYS + CANAPÉS”
 

2017-09-02


TATRAN – “EYES, “NO SIDES” E O RESTO
 

2017-07-20


SUGESTÕES ADICIONAIS A MEIO DE 2017
 

2017-06-20


TIMBER TIMBRE – A HIBRIDIZAÇÃO MUSICAL
 

2017-05-17


KARRIEM RIGGINS: EXPERIÊNCIAS E IDEIAS SOBRE RITMO E HARMONIAS
 

2017-04-17


PONTIAK – UM PASSO EM FRENTE
 

2017-03-13


TRISTESSE CONTEMPORAINE – SEM ILUSÕES NEM DESILUSÕES
 

2017-02-10


A PROJECTION – OBJECTOS DE HOJE, SÍMBOLOS DE ONTEM
 

2017-01-13


AGORA QUE 2016 TERMINOU
 

2016-12-13


THE PARKINSONS – QUINZE ANOS PUNK
 

2016-11-02


patten – A EXPERIÊNCIA DOS SENTIDOS, A ALTERAÇÃO DA PERCEPÇÃO
 

2016-10-03


GONJASUFI – DESCIDA À CAVE REAL E PSICOLÓGICA
 

2016-08-29


AGORA QUE 2016 VAI A MEIO
 

2016-07-27


ODONIS ODONIS – A QUESTÃO TECNOLÓGICA
 

2016-06-27


GAIKA – ENTRE POLÍTICA E MÚSICA
 

2016-05-25


PUBLIC MEMORY – A TRANSFORMAÇÃO PASSO A PASSO
 

2016-04-23


JOHN CALE – O REECONTRO COM O PASSADO EM MAIS UMA FACE DO POLIMORFISMO
 

2016-03-22


SAUL WILLIAMS – A FORÇA E A ARTE DA PALAVRA ALIADA À MÚSICA
 

2016-02-11


BIANCA CASADY & THE C.I.A – SINGULARES EXPERIMENTALISMO E IMAGINÁRIO
 

2015-12-29


AGORA QUE 2015 TERMINOU
 

2015-12-15


LANTERNS ON THE LAKE – SOBRE FORÇA E FRAGILIDADE
 

2015-11-11


BLUE DAISY – UM VÓRTEX DE OBSCURA REALIDADE E HONESTA REVOLTA
 

2015-10-06


MORLY – EM REDOR DE REVOLUÇÕES, REFORMULAÇÕES E REINVENÇÕES
 

2015-09-04


ABRA – PONTO DE EXCLAMAÇÃO, PONTO DE EXCLAMAÇÃO!! PONTO DE INTERROGAÇÃO?...
 

2015-08-05


BILAL – A BANDEIRA EMPUNHADA POR QUEM SABE QUEM É
 

2015-07-05


ANNABEL (LEE) – NA PRESENÇA SUPERIOR DA PROFUNDIDADE E DA EXCELÊNCIA
 

2015-06-03


ZIMOWA – A SURPREENDENTE ORIGEM DO FUTURO
 

2015-05-04


FRANCESCA BELMONTE – A EMERGÊNCIA DE UMA ALMA VELHA JOVEM
 

2015-04-06


CHOCOLAT – A RELEVANTE EXTRAVAGÂNCIA DO VERDADEIRO ROCK
 

2015-03-03


DELHIA DE FRANCE, PENTATONES E O LIRISMO NA ERA ELECTRÓNICA
 

2015-02-02


TĀLĀ – VOLTA AO MUNDO EM DOIS EP’S
 

2014-12-30


SILK RHODES - Viagem no Tempo
 

2014-12-02


ARCA – O SURREALISMO FUTURISTA
 

2014-10-30


MONEY – É TEMPO DE PARAR
 

2014-09-30


MOTHXR – O PRAZER DA SIMPLICIDADE
 

2014-08-21


CARLA BOZULICH E NÓS, SOZINHOS NUMA SALA SOTURNA
 

2014-07-14


SHAMIR: MULTI-CAMADA AOS 19
 

2014-06-18


COURTNEY BARNETT
 

2014-05-19


KENDRA MORRIS
 

2014-04-15


!VON CALHAU!
 

2014-03-18


VANCE JOY
 

2014-02-17


FKA Twigs
 

2014-01-15


SKY FERREIRA – MORE THAN MY IMAGE
 

2013-09-24


ENTRE O MAL E A INOCÊNCIA: RUTH WHITE E AS SUAS FLOWERS OF EVIL
 

2013-07-05


GENESIS P-ORRIDGE: ALMA PANDRÓGINA (PARTE 2)
 

2013-06-03


GENESIS P-ORRIDGE: ALMA PANDRÓGINA (PARTE 1)
 

2013-04-03


BERNARDO DEVLIN: SEGREDO EXÓTICO
 

2013-02-05


TOD DOCKSTADER: O HOMEM QUE VIA O SOM
 

2012-11-27


TROPA MACACA: O SOM DO MISTÉRIO
 

2012-10-19


RECOLLECTION GRM: DAS MÁQUINAS E DOS HOMENS
 

2012-09-10


BRANCHES: DOS AFECTOS E DAS MEMÓRIAS
 

2012-07-19


DEVON FOLKLORE TAPES (II): SEGUNDA PARTE DA ENTREVISTA COM DAVID CHATTON BARKER
 

2012-06-11


DEVON FOLKLORE TAPES - PESQUISAS DE CAMPO, FANTASMAS FOLCLÓRICOS E LANÇAMENTOS EM CASSETE
 

2012-04-11


FC JUDD: AMADOR DA ELETRÓNICA
 

2012-02-06


SPETTRO FAMILY: OCULTISMO PSICADÉLICO ITALIANO
 

2011-11-25


ONEOHTRIX POINT NEVER: DA IMPLOSÃO DOS FANTASMAS
 

2011-10-06


O SOM E O SENTIDO – PÁGINAS DA MEMÓRIA DO RADIOPHONIC WORKSHOP
 

2011-09-01


ZOMBY. PARA LÁ DO DUBSTEP
 

2011-07-08


ASTROBOY: SONHOS ANALÓGICOS MADE IN PORTUGAL
 

2011-06-02


DELIA DERBYSHIRE: O SOM E A MATEMÁTICA
 

2011-05-06


DAPHNE ORAM: PIONEIRA ELECTRÓNICA E INVENTORA DO FUTURO
 

2011-03-29


TERREIRO DAS BRUXAS: ELECTRÓNICA FANTASMAGÓRICA, WITCH HOUSE E MATER SUSPIRIA VISION
 

2010-09-04


ARTE E INOVAÇÃO: A ELECTRODIVA PAMELA Z
 

2010-06-28


YOKO PLASTIC ONO BAND – BETWEEN MY HEAD AND THE SKY: MÚLTIPLA FANTASIA EM MÚLTIPLOS ESTILOS