Links

PERSPETIVA ATUAL


Natureza Morta com Absinto (1887), Vincent van Gogh


O Bebedor de absinto (1859), Édouard Manet.


O absinto (1875–76), Edgar Degas.

Outros artigos:

2020-05-21


MANUELA HARGREAVES


2020-05-01


MANUELA HARGREAVES


2020-04-04


SUSANA GRAÇA E CARLOS PIMENTA


2020-01-21


NUNO LOURENÇO


2019-12-11


VICTOR PINTO DA FONSECA


2019-11-09


SÉRGIO PARREIRA


2019-10-09


LUÍS RAPOSO


2019-09-03


SÉRGIO PARREIRA


2019-07-30


JULIA FLAMINGO


2019-06-22


INÊS FERREIRA-NORMAN


2019-05-09


INÊS M. FERREIRA-NORMAN


2019-04-03


DONNY CORREIA


2019-02-15


JOANA CONSIGLIERI


2018-12-22


LAURA CASTRO


2018-11-22


NICOLÁS NARVÁEZ ALQUINTA


2018-10-13


MIRIAN TAVARES


2018-09-11


JULIA FLAMINGO


2018-07-25


RUI MATOSO


2018-06-25


MARIA DE FÁTIMA LAMBERT


2018-05-25


MARIA VLACHOU


2018-04-18


BRUNO CARACOL


2018-03-08


VICTOR PINTO DA FONSECA


2018-01-26


ANA BALONA DE OLIVEIRA


2017-12-18


CONSTANÇA BABO


2017-11-12


HELENA OSÓRIO


2017-10-09


PAULA PINTO


2017-09-05


PAULA PINTO


2017-07-26


NATÁLIA VILARINHO


2017-07-17


ANA RITO


2017-07-11


PEDRO POUSADA


2017-06-30


PEDRO POUSADA


2017-05-31


CONSTANÇA BABO


2017-04-26


MARC LENOT


2017-03-28


ALEXANDRA BALONA


2017-02-10


CONSTANÇA BABO


2017-01-06


CONSTANÇA BABO


2016-12-13


CONSTANÇA BABO


2016-11-08


ADRIANO MIXINGE


2016-10-20


ALBERTO MORENO


2016-10-07


ALBERTO MORENO


2016-08-29


NATÁLIA VILARINHO


2016-06-28


VICTOR PINTO DA FONSECA


2016-05-25


DIOGO DA CRUZ


2016-04-16


NAMALIMBA COELHO


2016-03-17


FILIPE AFONSO


2016-02-15


ANA BARROSO


2016-01-08


TAL R EM CONVERSA COM FABRICE HERGOTT


2015-11-28


MARTA RODRIGUES


2015-10-17


ANA BARROSO


2015-09-17


ALBERTO MORENO


2015-07-21


JOANA BRAGA, JOANA PESTANA E INÊS VEIGA


2015-06-20


PATRÍCIA PRIOR


2015-05-19


JOÃO CARLOS DE ALMEIDA E SILVA


2015-04-13


Natália Vilarinho


2015-03-17


Liz Vahia


2015-02-09


Lara Torres


2015-01-07


JOSÉ RAPOSO


2014-12-09


Sara Castelo Branco


2014-11-11


Natália Vilarinho


2014-10-07


Clara Gomes


2014-08-21


Paula Pinto


2014-07-15


Juliana de Moraes Monteiro


2014-06-13


Catarina Cabral


2014-05-14


Alexandra Balona


2014-04-17


Ana Barroso


2014-03-18


Filipa Coimbra


2014-01-30


JOSÉ MANUEL BÁRTOLO


2013-12-09


SOFIA NUNES


2013-10-18


ISADORA H. PITELLA


2013-09-24


SANDRA VIEIRA JÜRGENS


2013-08-12


ISADORA H. PITELLA


2013-06-27


SOFIA NUNES


2013-06-04


MARIA JOÃO GUERREIRO


2013-05-13


ROSANA SANCIN


2013-04-02


MILENA FÉRNANDEZ


2013-03-12


FERNANDO BRUNO


2013-02-09


ARTECAPITAL


2013-01-02


ZARA SOARES


2012-12-10


ISABEL NOGUEIRA


2012-11-05


ANA SENA


2012-10-08


ZARA SOARES


2012-09-21


ZARA SOARES


2012-09-10


JOÃO LAIA


2012-08-31


ARTECAPITAL


2012-08-24


ARTECAPITAL


2012-08-06


JOÃO LAIA


2012-07-16


ROSANA SANCIN


2012-06-25


VIRGINIA TORRENTE


2012-06-14


A ART BASEL


2012-06-05


dOCUMENTA (13)


2012-04-26


PATRÍCIA ROSAS


2012-03-18


SABRINA MOURA


2012-02-02


ROSANA SANCIN


2012-01-02


PATRÍCIA TRINDADE


2011-11-02


PATRÍCIA ROSAS


2011-10-18


MARIA BEATRIZ MARQUILHAS


2011-09-23


MARIA BEATRIZ MARQUILHAS


2011-07-28


PATRÍCIA ROSAS


2011-06-21


SÍLVIA GUERRA


2011-05-02


CARLOS ALCOBIA


2011-04-13


SÓNIA BORGES


2011-03-21


ARTECAPITAL


2011-03-16


ARTECAPITAL


2011-02-18


MANUEL BORJA-VILLEL


2011-02-01


ARTECAPITAL


2011-01-12


ATLAS - COMO LEVAR O MUNDO ÀS COSTAS?


2010-12-21


BRUNO LEITÃO


2010-11-29


SÍLVIA GUERRA


2010-10-26


SÍLVIA GUERRA


2010-09-30


ANDRÉ NOGUEIRA


2010-09-22


EL CULTURAL


2010-07-28


ROSANA SANCIN


2010-06-20


ART 41 BASEL


2010-05-11


ROSANA SANCIN


2010-04-15


FABIO CYPRIANO - Folha de S.Paulo


2010-03-19


ALEXANDRA BELEZA MOREIRA


2010-03-01


ANTÓNIO PINTO RIBEIRO


2010-02-17


ANTÓNIO PINTO RIBEIRO


2010-01-26


SUSANA MOUZINHO


2009-12-16


ROSANA SANCIN


2009-11-10


PEDRO NEVES MARQUES


2009-10-20


SÍLVIA GUERRA


2009-10-05


PEDRO NEVES MARQUES


2009-09-21


MARTA MESTRE


2009-09-13


LUÍSA SANTOS


2009-08-22


TERESA CASTRO


2009-07-24


PEDRO DOS REIS


2009-06-15


SÍLVIA GUERRA


2009-06-11


SANDRA LOURENÇO


2009-06-10


SÍLVIA GUERRA


2009-05-28


LUÍSA SANTOS


2009-05-04


SÍLVIA GUERRA


2009-04-13


JOSÉ MANUEL BÁRTOLO


2009-03-23


PEDRO DOS REIS


2009-03-03


EMANUEL CAMEIRA


2009-02-13


SÍLVIA GUERRA


2009-01-26


ANA CARDOSO


2009-01-13


ISABEL NOGUEIRA


2008-12-16


MARTA LANÇA


2008-11-25


SÍLVIA GUERRA


2008-11-08


PEDRO DOS REIS


2008-11-01


ANA CARDOSO


2008-10-27


SÍLVIA GUERRA


2008-10-18


SÍLVIA GUERRA


2008-09-30


ARTECAPITAL


2008-09-15


ARTECAPITAL


2008-08-31


ARTECAPITAL


2008-08-11


INÊS MOREIRA


2008-07-25


ANA CARDOSO


2008-07-07


SANDRA LOURENÇO


2008-06-25


IVO MESQUITA


2008-06-09


SÍLVIA GUERRA


2008-06-05


SÍLVIA GUERRA


2008-05-14


FILIPA RAMOS


2008-05-04


PEDRO DOS REIS


2008-04-09


ANA CARDOSO


2008-04-03


ANA CARDOSO


2008-03-12


NUNO LOURENÇO


2008-02-25


ANA CARDOSO


2008-02-12


MIGUEL CAISSOTTI


2008-02-04


DANIELA LABRA


2008-01-07


SÍLVIA GUERRA


2007-12-17


ANA CARDOSO


2007-12-02


NUNO LOURENÇO


2007-11-18


ANA CARDOSO


2007-11-17


SÍLVIA GUERRA


2007-11-14


LÍGIA AFONSO


2007-11-08


SÍLVIA GUERRA


2007-11-02


AIDA CASTRO


2007-10-25


SÍLVIA GUERRA


2007-10-20


SÍLVIA GUERRA


2007-10-01


TERESA CASTRO


2007-09-20


LÍGIA AFONSO


2007-08-30


JOANA BÉRTHOLO


2007-08-21


LÍGIA AFONSO


2007-08-06


CRISTINA CAMPOS


2007-07-15


JOANA LUCAS


2007-07-02


ANTÓNIO PRETO


2007-06-21


ANA CARDOSO


2007-06-12


TERESA CASTRO


2007-06-06


ALICE GEIRINHAS / ISABEL RIBEIRO


2007-05-22


ANA CARDOSO


2007-05-12


AIDA CASTRO


2007-04-24


SÍLVIA GUERRA


2007-04-13


ANA CARDOSO


2007-03-26


INÊS MOREIRA


2007-03-07


ANA CARDOSO


2007-03-01


FILIPA RAMOS


2007-02-21


SANDRA VIEIRA JURGENS


2007-01-28


TERESA CASTRO


2007-01-16


SÍLVIA GUERRA


2006-12-15


CRISTINA CAMPOS


2006-12-07


ANA CARDOSO


2006-12-04


SÍLVIA GUERRA


2006-11-28


SÍLVIA GUERRA


2006-11-13


ARTECAPITAL


2006-11-07


ANA CARDOSO


2006-10-30


SÍLVIA GUERRA


2006-10-29


SÍLVIA GUERRA


2006-10-27


SÍLVIA GUERRA


2006-10-11


ANA CARDOSO


2006-09-25


TERESA CASTRO


2006-09-03


ANTÓNIO PRETO


2006-08-17


JOSÉ BÁRTOLO


2006-07-24


ANTÓNIO PRETO


2006-07-06


MIGUEL CAISSOTTI


2006-06-14


ALICE GEIRINHAS


2006-06-07


JOSÉ ROSEIRA


2006-05-24


INÊS MOREIRA


2006-05-10


AIDA E. DE CASTRO


2006-04-20


JORGE DIAS


2006-04-05


SANDRA VIEIRA JURGENS



O FUEL DA ARTE



PEDRO PORTUGAL

2020-03-01




 


Os primeiros humanos inventaram a agricultura para a produção de cerveja antes de perceberem que podiam fazer pão com os cereais sagrados que cultivavam (beer before bread). Significa que a fixação de populações teve mais a ver com a intoxicação do que com a alimentação.

Terence McKenna (Food of the Gods, 1992), com formação em história da arte antes de se dedicar à etnobotânica, aponta uma singularidade arquitectónica da civilização Micénica (1600–1100 AC.) que precede a grega: as colunas dos palácios e templos em Knossos são em forma de cogumelos e há representações de papoilas e vagens de ópio em pinturas ou estilizações em altos relevos.

A particular teoria da evolução de McKenna assenta na possibilidade de que a ingestão por macacos durante milhões de anos de cogumelos com agentes psicoactivos (Psilocybin) ter mudado o curso da civilização: melhor visão (contornos e distância), exponencial actividade copulatória (sucesso no grupo), consciência (liderança) e duplicação do tamanho do cérebro. O mundo começa a ser pintado em 33.000 AC. (Chauvet) e a escrita é inventada em 8.000 AC. coincidente com o fim da pintura em rochas e do degelo, que fez subir 100 metros o nível da água do mar (Idade do Gelo II). 

Os gregos e romanos tinham os deuses Baco e Dionísio a trabalhar no ministério do vinho e da fermentação. Na Grécia o assunto era tão importante que havia um extenso vocabulário para designar assuntos relacionados com a bebida: kraipale que significava grande bebedeira e grande ressaca, karebaria (cabeça pesada de beber), apokraipalismos (curar a ressaca) ou oinopoleion para taberna. O vinho na Grécia antiga só era bebível misturado com água, mel e outros preparados, incluindo cogumelos. Uma bebida mais antiga de composição desconhecida, a que também chamavam vinho (Kikeon), tinha constituintes químicos ativos de alcaloides alucinogénicos muito próximos do LSD.

3.000 anos depois... no final do séc. XIX, a ideia do artista como boémio estava liquefeita no imaginário da época. A poção mágica que alimentava a intoxicação dos humanos era o absinto. A Fada Verde, por causa dos efeitos alucinógenos que produz: fractais, separação de cores, fragmentação da percepção, etc. Édouard Manet pinta em 1859 Le Buveur d'absinthe e Edgar Degas L’Absinthe em 1876. Vincent Van Gogh executa uma pintura essencialmente modernista, L’Absinthe (1887) onde o objeto de representação está focado numa garrafa e num copo de absinto — apenas dois personagens numa única pintura — inédito.

Por saber se não terá sido Paul Gauguin a cortar a orelha do amigo numa terrível discussão sobre pintura alimentada por absinto. Toulouse-Lautrec, desde que foi para Paris, nunca mais saiu de Montmartre e parava em todas as tascas de absinto para étouffer un perroquet (matar o bicho) a caminho dos bordeis que frequentava diariamente. Mandou fazer uma bengala oca que podia conter meio litro de absinto cuja tampa era um pequeno copo em vidro.

O modelo do artista boémio é durante o séc. XX transposto e melhorado em Inglaterra e EUA a partir dos anos 20. Francis Bacon afirmava que era alcoólico desde os 15 anos e foi membro fundador em Londres do clube privado The Colony (1948). Os membros tinham de ser artistas e serem first and foremost raging alcoholics — os YBA foram todos sócios invertebrados do clube até fechar em 2008. 

O FBI (e o álcool) inventaram o expressionismo abstracto para afirmar a liderança da arte americana internacionalmente. Em Willem de Kooning, Franz Kline ou Jackson Pollock já não há representação mas a própria intoxicação, conflito, urgência, grito e autenticidade mediúnica da tinta debatendo contra o suporte (ARGH!). Pollock tinha o hábito, socialmente aceite, de ir a jantares de colecionadores no Upper East Side e urinar piamente nas suas lareiras (uma reminiscência do pai Leroy que fazia desenhos com urina na terra ou a invenção do dripping?). De Kooning só conseguia acordar depois de beber uma garrafa de whiskey e Jasper Johns glorificou a cerveja transpondo para bronze duas latas da Ballantine Ale (1960). 

Atualmente o mundo da arte contemporânea tem um poderoso propulsor intoxicante: a indústria do álcool. O champanhe é a água no calendário infindável de feiras, inaugurações, leilões, prémios, private-views e bienais. A saber: Dallas Art Fair - Ruinart; Art Basel Hong Kong, Basel e Miami - Ruinart (Host Partner); o Turner Prize tem desde 2004 o Gordon's Gin como o patrocinador principal num contrato de 15 anos, tendo pago 1 milhão de libras nos três primeiros anos; ARCO Madrid, Ruinart e Cervezas Alhambra; ARCO Lisboa, Ruinart e Esporão; Bienal de Veneza - Prosecco Canella; Frieze - Ruinart e Bombay-Sapphire; o prémio Absolut Vodka Art Award; a FIAC Paris tem a Pernod-Ricard com parceiro principal...

Os indícios apontam para uma forte amizade histórica entre intoxicação e arte mas também na consistente empatia entre galerias e garrafas. Aparentemente as grandes marcas de bebidas encontraram ouro no mundo da arte. Vendem o lifestyle do artista e o álcool serve para celebrar vendas ou afogar fracassos. Fundamentalmente todos podem ser artistas: bebendo.

 

 

Pedro Portugal